Cortesia do FBI
Cortesia do FBI

Quadro de Marc Chagall roubado há três décadas nos EUA reaparece

'Otelo e Desdêmona' passou anos em uma caixa armazenada em um celeiro do estado de Maryland

AFP

13 Abril 2018 | 13h34

Um óleo sobre tela pintado por Marc Chagall em 1911 em Paris que havia sido roubado há quase 30 anos em Nova York, foi recuperado, anunciou nesta quinta-feira a polícia federal americana.

A obra intitulada Otelo e Desdêmona passou anos em uma caixa armazenada em um celeiro do estado de Maryland (leste dos Estados Unidos), porque seu dono não conseguia se desfazer da obra.

Em uma última tentativa de vender o quadro no ano passado, o dono tentou vendê-lo a um galerista de Washington, que achou suspeito e avisou a polícia.

** Pintura original de Pablo Picasso é roubada em galeria nos EUA

O quadro tinha sido adquirido nos anos 20 por um casal, Ernest e Rose Heller, que o expôs em seu apartamento situado no bairro de Upper East Side, em Manhattan.

Na volta das suas férias em 1988, eles encontraram sua casa revirada e muitas obras de arte foram roubadas, entre elas o quadro de Otelo e Desdêmona, personagens célebres na dramaturgia de Shakespeare.

De acordo com a investigação, o ladrão era um trabalhador que tinha acesso ao imóvel dos Heller, hoje já falecidos.

** Obra de Leonardo da Vinci é vendida por 1,5 bilhão de reais em leilão

O criminoso entregou o quadro a um homem que vivia em Maryland e que supostamente conhecia um comprador potencial, mas a transação nunca pôde ser concluída e a obra de Chagall, um artista nascido na Bielorrússia e naturalizado francês, permaneceu oculta em Maryland.

"As obras de arte conhecidas e registradas são muito difíceis de revender depois de terem sido roubadas", afirmou Tim Carpenter, um agente especial do FBI especializado no mercado de arte.

Por causa da prescrição penal deste caso, nenhum dos dois podem ser processados.

 

Mais conteúdo sobre:
Marc Chagall

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.