Reprodução/Sotheby's
Reprodução/Sotheby's

Quadro de Botticelli arrecada US$ 45 milhões em leilão em Nova York

‘Cristo, o Homem da Dores’ foi disputada por dois compradores

EFE, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2022 | 15h54

Uma das poucas pinturas de Sandro Botticelli que ainda permanecem em mãos privadas, Cristo, o Homem das Dores, arrecadou US$ 45,4 milhões em um leilão em Nova York nesta quinta, 27, no qual dois compradores disputaram a peça com lances constantes.

A peça foi vendida por um preço de martelo de 39,3 milhões de dólares, que somando taxas e impostos chegou a 45,4 milhões de dólares, acima dos 40 milhões de dólares que os especialistas da Sotheby's haviam estimado.

Vendido quase exatamente um ano após outra pintura do artista renascentista italiano ser vendida por US$ 92 milhões, Cristo, o Homem das Dores foi executado quando o pintor estava na casa dos 50 anos, tornando-se uma de suas obras posteriores, e foi vendido pela última vez para o maior lance em 1963.

A pintura tem uma peculiaridade, e é que, como resultado do leilão atual, foi descoberto um esboço de uma virgem com uma criança escondida sob a pintura de Cristo, o Homem das Dores.

"É um conhecimento emocionante sobre o artista, como ele trabalhou e como criou suas pinturas", disse Christopher Apostle, diretor do departamento de Grandes Mestres da Sotheby's em Nova York.

A peça, que se estima ter sido concluída por Botticelli por volta do ano 1500, está em exibição desde outubro em Londres, Dubai, Los Angeles e Hong Kong antes de ser vendida em Nova York e, segundo a Sotheby's, está em coleções particulares desde o século 19. 

"Acreditamos que existam apenas cerca de cinco pinturas de Botticelli em mãos particulares", disse Apóstolo, que sublinhou o caráter retrospectivo e emocional da pintura, resultado do fato de ter sido pintada nos últimos anos da vida do pintor.

"É uma pintura metafísica de uma pessoa madura enfrentando sua própria mortalidade, e é isso que a torna tão comovente", acrescentou o especialista da Sotheby's.

Representando Cristo com uma coroa de espinhos, cercado de laços, com as mãos cruzadas sobre o peito e com uma auréola de anjos voando sobre a cabeça, tem um estilo sóbrio e austero, longe da inocência de suas primeiras obras, como o famoso Nascimento de Vênus.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.