Tolga Akmen / AFP
Tolga Akmen / AFP

Quadro de Banksy é leiloado por US$ 12 milhões, recorde para o artista de rua

'Devolved Parliament' põe em cena chimpanzés sentados nos bancos verdes da Câmara dos Comuns no lugar dos deputados

Redação, AFP

04 de outubro de 2019 | 11h53

Uma obra do artista de rua Banksy que representa um Parlamento britânico cheio de primatas foi leiloada nesta quinta-feira, 3, por quase 9,9 milhões de libras esterlinas (12,1 milhões de dólares), um recorde para o autor, informou a casa de leilões Sotheby's.

A obra, intitulada Devolved Parliament (Involução do Parlamento), põe em cena chimpanzés sentados nos bancos verdes da Câmara dos Comuns no lugar dos deputados.

A pintura data de 2009. O leilão durou 13 minutos e foi uma disputa entre 10 concorrentes, destacou a Sotheby's, dias depois de sessões particularmente agitadas na Câmara dos Comuns sobre o Brexit.

"Preço recorde para uma pintura de Banksy alcançado esta noite. Pena que não me pertença mais", reagiu o artista em um comentário no Instagram.

A tela, de 2,50 m por 4,2 m sem moldura, estava estimada entre 1,5 e dois milhões de libras esterlinas.

A Câmara dos Comuns foi o cenário de discussões particularmente intensas entre o primeiro-ministro, Boris Johnson, e os deputados da oposição.

"Nunca houve melhor momento para pôr este quadro à venda", havia dito à AFP Alex Branczik, chefe do departamento de arte contemporânea europeia na Sotheby’s, qualificando de "novela diária" as cenas dos últimos meses e semanas no Parlamento britânico.

Para ele, a obra de Banksy destaca "a regressão da democracia parlamentar mais antiga do mundo a uma atitude tribal e animal".

O quadro foi originalmente apresentado em 2009 no museu da cidade de Bristol (sudoeste do Reino Unido), cidade natal de Banksy.

Mas este ano, o artista, cuja identidade permanece um mistério, "expôs novamente a obra para coincidir com a data do Brexit", explicou Branczik.

Na ocasião, o quadro, anteriormente intitulado "Cuestion Time" ("Hora das perguntas"), foi renomeado.

No ano passado, Banksy chamou atenção na Sotheby’s, quando uma de suas telas se autodestruiu parcialmente logo após a venda.

Esta não foi a primeira vez que o artista de rua entrou na discussão sobre o Brexit.

Em Dover (sudeste), Banksy fez um mural que representa um homem retirando uma estrela da bandeira europeia com um cinzel, obra visível para milhares de motoristas e visitantes que entram no Reino Unido todos os dias.

Tudo o que sabemos sobre:
Banksyartes plásticaspinturaleilão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.