Público adolescente dá as cartas na escolha dos melhores do ano

NX Zero, Scracho e Banda Cine venceram três das dez categorias do Multishow

Roberta Pennafort, O Estadao de S.Paulo

20 de agosto de 2009 | 00h00

Se você nasceu nos anos 70 ou antes disso, provavelmente não tem CDs do NX Zero, Scracho e Banda Cine em casa. Eles foram os vencedores de três das dez categorias principais do Prêmio Multishow de Música Brasileira, cujos troféus foram entregues terça-feira, no Rio. Numa noite em que os maiores ganhadores foram Skank (com três prêmios) e Marisa Monte (dois), quem deu mesmo as cartas foi o gosto do chamado público jovem, o que mais assiste ao Multishow - dos grupos pós-adolescentes discursando em agradecimento aos pais aos números musicais. Vale lembrar que o voto é popular. Foram 7 milhões, pela internet.O primeiro número reuniu Seu Jorge e as cantoras Roberta Sá, Nina Becker e a estreante Maria Gadú, em torno de Marcelo D2. O grupo cantou seu sucesso Pode Acreditar. Depois veio o Little Joy de Rodrigo Amarante e Fabrizio Moretti, com Keep Me In Mind, de seu CD de estreia.Cerimônia de premiação que se preze tem de ter Zeca Pagodinho, e ele fez duo com Ivete Sangalo em Falsa Baiana e Deixa a Vida Me Levar. Ivete, possivelmente a mais fotografada da noite, rebolou e sambou, de salto, com a barriga de sete meses de gravidez de fora. Ana Cañas e Arnaldo Antunes foram de Raul Seixas, Como Vovó Já Dizia; NX Zero, Fresno e Strike, de Inútil, do Ultraje a Rigor.Voltando aos prêmios: o NX Zero desbancou Skank, Jota Quest, Marcelo D2 e Claudia Leitte e ganhou o de melhor CD, com Agora, o segundo da carreira. A baterista do Scracho, Débora Teicher, foi eleita melhor instrumentista. A Banda Cine levou como revelação. Na entrada da cerimônia, era possível ver por quê: um grupo de garotas com cartazes nas mãos gritaram "Banda Cineeee!" até rouquejar a voz. No palco, os meninos receberam o troféu do improvável trio formado por Milton Nascimento, Kleiton Ramil e Washington Olivetto, todos com cara de quem não fazia ideia do que se tratava.A música "adulta" também teve vez: o Skank ganhou como melhor grupo, pelo clipe de Ainda Gosto Dela e pela iniciativa de usar a internet para interagir com os fãs. Marisa Monte, como melhor cantora e pelo DVD Infinito ao Meu Redor. "A gente faz música e essa não é uma atividade competitiva. Fico feliz de estar entre os melhores." Vanessa da Mata, que ganhou pela melhor música, Amado, também foi generosa. Apresentou seu coautor, Marcelo Jeneci. O melhor cantor foi Seu Jorge, e o melhor show, o do Capital Inicial. O Multishow agraciou o telespectador Kadu Gauer, de Jundiaí, pela paródia do clipe Dalila, de Ivete Sangalo, exibido no programete TVZÉ, de grande audiência em sua grade.Pela primeira vez, a cerimônia, apresentada pela sempre espirituosa Fernanda Torres, foi realizada na casa de shows Citibank Hall, na Barra da Tijuca, uma vez que o Teatro Municipal está em obras. A premiação até foi atrasada em dois meses para que ficasse no palco centenário, mas as obras se estenderam e não houve jeito de evitar a mudança. Talvez o novo espaço seja mesmo mais adequado ao espírito jovem e "conectado" que marcam a premiação.Ao fim, a homenagem aos 40 anos de carreira de Rita Lee, com o filho Beto Lee e a neta Isabela no palco, emocionou. "Vovó preferia este prêmio em dinheiro, que é pra inteirar a despesa com a cirurgia que vai consertar a asinha!", brincou ela, de braço direito numa tipoia. Gilberto Gil, Pitty e grande banda (Liminha, Dadi, Beto) cantaram alguns de seus hits.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.