Próxima meta do autor é filmar o clássico Solaris

Ari Folman tem 46 anos e vive em Tel-Aviv, e já dirigiu dois filmes muito premiados: Saint Clara e Made in Israel. Ele ainda produz e escreve roteiros para a televisão. Já o artista David Polonksy, ilustrador e desenhista, é também professor da Academia de Artes de Bezalel.Folman diz que sua próxima meta é filmar Solaris, baseado no famoso romance de Stanislaw Lem. Uma história que já foi filmada por ninguém menos que Tarkovsky. "É meu livro de ficção favorito. Vai ser metade ação real e metade animação, a mesma ideia que usei em Bashir. Em vez de mergulhar no passado, você leva o personagem adiante e vê o que está fazendo no futuro. O romance é selvagem e filosófico, e estou realmente envolvido nisso".Para o diretor do filme Valsa com Bashir, que gerou o comic book, a música foi uma das chaves da criação. Além da música original da época, ele buscou nos anos 80 a inspiração para a trilha sonora do filme, que foi feita pelo compositor alemão Max Richter, um ex-estudante de Luciano Berio. Algumas canções do período inseridas no filme, como Enola Gay (do OMD, grupo inglês de synthpop dos anos 1980), This Is Not a Love Song (do PiL, a segunda banda de Johnny Rotten dos Sex Pistols) e I Bombed Beirut (releitura de I Bombed Korea, do Cake, reinterpretada por Zeev Tene) não buscam apenas efeito, mas mostram que os soldados são todos iguais, o que muda é o cenário e o horror nos quais combatem.É curioso porque, enquanto no mundo todos nós vivíamos referências nostálgicas acerca dos anos 80, em Israel e na Palestina aquelas canções adquiriam outros significados. "Caminhávamos por uma espécie de calçadão que seguia até um grande cruzamento. Não tínhamos como distinguir um franco-atirador de um músico", diz o personagem do gibi na Beirute conflagrada, enquanto passa por ele um clarinetista de chinelos."Acho que a música mudou um bocado a atmosfera do filme. Eu sou muito influenciado pela música. É a melhor parte de filmar, a parte divertida. Faço menos, mas adoro tudo a respeito de sound design. Você deve ter canções em filmes. Pensei que seria realmente inspirador para ele, e foi. Mas negociar com essa gente da indústria musical é um pesadelo", disse Folman.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.