Procura-se Susan desesperadamente

Gravadoras, estilistas, fotógrafos, repórteres: todos querem a mulher mais falada no mundo hoje

Lauro Lisboa Garcia, O Estadao de S.Paulo

23 de abril de 2009 | 00h00

Tanya Gold, do jornal The Guardian, se perguntou: "Susan Boyle é feia? Ou somos nós?" Lisa Schwarzbaum, do Entertainment Weekly afirmou: "Ela redimensionou o conceito de beleza. E eu não fazia ideia, até as lágrimas caírem, de quão desesperadamente eu precisava de um corretivo." Sem querer ofender, mas como diria a funkeira Tati Quebra Barraco, Susan é feia, mas está na moda. Hit absoluto na web, seu caso de fama repentina se torna mais interessante por causa de sua condição de perdedora, outsider, como a borralheira do conto de fadas.A mais jovem de nove filhos, Susan nunca teve namorado e seus amigos íntimos a descrevem como tímida e esquisita, cheia de manias. Nunca conseguiu se manter num emprego e sofre de dificuldade de aprendizado decorrente da falta de oxigênio ao nascer. Em entrevistas, ela mencionou que os garotos de sua aldeia sempre zombavam dela, a mulher solitária que vive com seu gato, Pebbles. Para ela, isso tudo que vem acontecendo é surreal.O vídeo visto por dezenas de milhões de internautas no mundo todo está aí como prova. Quando Susan pisa no palco do Britain?s Got Talent com aquele seu jeito meio rude, e diz que tem intenção de virar cantora profissional como Elaine Paige, ecoa da plateia uma sonora gargalhada. Nos bastidores, dois caras da produção reforçam a gozação. Quando ela revela sua idade, 47 anos, mais chacotas.Porém, aos primeiros acordes de I Dreamed a Dream (composta pelo francês Claude-Michel Schöenberg para a personagem Fantine, do musical Os Miseráveis), quem riu chora, perplexo. É tudo um tanto piegas, como o tema da canção, mas Susan foi certeira na escolha, cai bem na sua voz melodiosa, potente. E é claro que a letra, que fala de realização de um sonho, cairia perfeitamente para ilustrar os anseios da própria cantora. Os jurados, que seguraram um pouco a onda de zombaria, se rendem. Ela é aprovada pelos três. Simon Cowell diz cinicamente que já sabia que ela seria algo extraordinário, o que nem Susan, exultante e aparentemente ingênua, acredita.Não se pode culpá-los, nem ao público. Quem assistiu às aberturas das temporadas do American Idol conhece bem o hilariante show de horrores que são os testes dos calouros. Muitos levam a sério a ideia de se tornar um ídolo da música, mas o que não falta é gente bizarra que vai lá só para aparecer na televisão, não importa o tamanho da exposição ao ridículo. Susan foi confundida com esses tipos, que seguramente contribuem para alavancar a audiência do programa.Nem poderia imaginar aonde "o sonho" a levaria. Elaine Paige, lendária estrela dos musicais de Londres, citada por ela como seu ídolo, contou à BBC que provavelmente ambas vão gravar um dueto. Elaine descreveu Susan "como um modelo para todos que têm um sonho". Fotógrafos plantados do lado de fora da casa de Susan oferecem até US$ 3 mil por uma única imagem antiga de família da nova estrela. Estilistas se prontificam a dar um trato em seu guarda-roupa, provavelmente querendo pegar carona na fama. O lançamento de um disco agora pode superar a performance de Paul Potts (leia abaixo), vencedor da primeira edição do Britain?s Got Talent. Susan já recebeu propostas para assinar contratos com gravadoras e de produtoras de cinema. É provável que um concerto dessa mulher hoje lote estádios.Os fenômenos musicais da internet costumam despertar desconfiança. Certas pretendentes a estrelas não têm nem a ferramenta básica da afinação. No caso de Susan, goste-se ou não de seu estilo, ela simplesmente demonstrou, em sua breve aparição de menos de 5 minutos, que tem voz privilegiada e sabe fazer bom uso dela. Seu histórico de origem humilde fez o resto. Ela disse que decidiu se profissionalizar como cantora para mostrar à mãe, já morta, que poderia ser alguém. Não precisou ser mais uma tediosa imitação de Mariah Carey para convencer o mundo de seu potencial. COM AGÊNCIAS INTERNACIONAISHITS DA WEBLILY ALLEN: Não foi à toa que a cantora britânica disponibilizou seu segundo álbum, It?s Not Me, It?s You, para audição no MySpace, antes de lançá-lo em CD. Foi a partir da criação de seu espaço na internet que ela se tornou estrela mundial. Em 2006, faixas de seu álbum de estreia, Alright, Still, viraram campeãs de download. Isso não atrapalhou a performance do CD, que vendeu mais de 2,6 milhões de cópias no mundo.GNARLS BARKLEY: A dupla, formada pelo cantor Cee-Lo e pelo produtor Danger Mouse, entrou para a história com um feito inédito: foram os primeiros artistas a atingir o topo da parada britânica, posição mantida por nove semanas, com venda exclusiva pela internet, em 2006. A canção, que passou de 1 milhão de downloads, era a sensacional Crazy, carro-chefe de seu álbum de estreia, St. Elsewhere. Foram desbancados por Sandi Thom.MALLU MAGALHÃES: Espécie de resposta brazuca a Lily Allen, no quesito web, a cantora folk paulistana também se tornou conhecida via MySpace, aos 15 anos, antes de lançar o primeiro CD, em 2008. Foi encampada pela mídia adulta com velocidade e ingenuidade espantosas. Há quem aponte seu caso como resultado de uma nova forma de jabá. Talvez seja outro fenômeno adolescente efêmero.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.