Prêmio teatral divulga suas listas

Em São Paulo, no primeiro semestre, A Noite dos Palhaços Mudos lidera com quatro categorias

Ubiratan Brasil, O Estadao de S.Paulo

29 de julho de 2008 | 00h00

O enigma do circo decifrado com o toque mágico da Cia. La Mínima transformou a peça A Noite dos Palhaços Mudos no espetáculo com mais indicações da 21ª edição do Prêmio Shell de Teatro de São Paulo, referente às peças que estrearam no primeiro semestre (de janeiro a junho) do ano. São quatro indicados - além de duas de melhor ator (Domingos Montagner e Fernando Sampaio), o trabalho também foi lembrado na música, pela trilha sonora original de Marcelo Pellegrini, e na direção de Álvaro Assad.Inspirada na obra do quadrinista Laerte, a peça envolve dois palhaços que tentam salvar um terceiro, prestes a ser executado no interior de uma mansão, por um grupo de homens decididos a eliminar todos os palhaços do mundo. "O paradoxo visível em A Noite dos Palhaços Mudos é que essa arte, tida como hilariante, algumas vezes pode assustar", escreveu no Estado, em julho, o crítico Jefferson Del Rios.Na categoria de melhor autor, novamente o júri paulista do Shell foi econômico nas indicações, escolhendo apenas Sérgio Roveri por A Coleira de Bóris, e Grace Passô, por Amores Surdos. Este espetáculo, aliás, embora tenha estreado em 2006, ganhou uma nova temporada em 2008 o que, segundo a organização do prêmio, garante-lhe o direito de participar novamente neste ano - o mesmo aconteceu na primeira lista de indicados do Rio de Janeiro, onde A Noviça Rebelde recebeu o maior número (quatro categorias). Embora a peça já tenha sido encenada nos anos 1980, a montagem atual vai concorrer a melhor ator (Fernando Eiras), cenário (Rogério Falcão), figurino (Rita Murtinho) e categoria especial (produção de Aniela Jordan, Beatriz Secchin Braga e Monica Athayde Lopes). Também a categoria de melhor atriz, em São Paulo, polarizou dois nomes: Cácia Goulart, que enfrentou o risco de viver o escrivão de Bartleby; e Paula Arruda, pela vigorosa interpretação no não menos belo O Céu 5 Minutos Antes da Tempestade.Como sempre acontece no Prêmio Shell, a lista divulgada ontem (veja ao lado) refere-se apenas aos espetáculos que estrearam em São Paulo entre janeiro e junho de 2008. Em janeiro, serão conhecidos os indicados do segundo semestre e, no início de 2009, os vencedores.Os vitoriosos receberão uma escultura em metal do artista plástico Domenico Calabroni e uma premiação individual de R$ 8 mil. O júri de São Paulo é formado por Kil Abreu, Valmir Santos, Marici Salomão, Mario Bolognesi e Noemi Marinho. OS INDICADOSAUTOR: Grace Passô, por Amores SurdosSérgio Roveri, por A Coleira de BórisATRIZ:Cácia Goulart, por BartlebyPaula Arruda, por O Céu 5 Minutos Antes da TempestadeATOR:Domingos Montagner, por A Noite dos Palhaços MudosFernando Sampaio, por A Noite dos Palhaços MudosNilton Bicudo, por O NatimortoDIREÇÃO:Alvaro Assad, por A Noite dos Palhaços MudosMarco Antonio Rodrigues, por A Coleira de BórisRita Clemente, por Amores SurdosCENÁRIO:André Cortez, por BartlebyBruna Christófaro, por Amores SurdosRenato Bolelli Rebouças, por ArrufosFIGURINO:Rosângela Ribeiro, por Senhora dos AfogadosSilvana Marcondes, Fernando Sato e Júlio Dojcsar, por O Santo Guerreiro e o Herói DesajustadoILUMINAÇÃO:Carlos Gaúcho, por A Coleira de BórisLúcia Chedieck, por Memória do MundoMÚSICA:Josimar Carneiro, pela direção musical de Divina ElizethMarcelo Pellegrini, pela trilha sonora original de A Noite dos Palhaços MudosCATEGORIA ESPECIAL:Centro de Pesquisa Teatral do Sesc, pelos 10 anos do projeto prêt-à-porterGrupo XIX de Teatro, pela pesquisa e criação de Arrufos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.