Playboy na locadora

Mídia Erótico: Sexy Hot e For Man rendem DVDs

Cristina Padiglione, O Estadao de S.Paulo

17 de novembro de 2008 | 00h00

Ao constatar que 69% de seus assinantes procuram conteúdo erótico na internet; que 40% alugam e 28% compram DVDs do gênero; e que 10% gravam filmes da TV, a Playboy do Brasil resolveu estender seu comércio. Daí tratar como mídia complementar, e não concorrente, o lançamento, em janeiro, das quatro primeiras caixas de DVDs do Clube Sexy Hot. O pacote é composto por um filme "soft" e dois "hards" - a saber, com sexo explícito.Em fevereiro, será a vez de inaugurar o lançamento de DVDs de quem curte o canal For Man, voltado aos gays. A partir daí, a saída de títulos em DVDs eróticos terá periodicidade fixa, a definir.A etapa seguinte será oferecer a esse obcecado consumidor uma assinatura dessas caixas. Vende-se aí o conforto do delivery, mas, principalmente, a vantagem de evitar o constrangimento na hora de caçar cenas eróticas em plena locadora.No Brasil, o mercado "adulto", como manda o eufemismo da nossa era, movimenta US$ 800 milhões por ano. Desse bolo, a fatia de DVDs consome 36% (US$ 284 milhões), bem mais que a TV paga (7%), o que explica a nova aposta da Playboy.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.