Francois Guillot/AFP
Francois Guillot/AFP

Pintura atribuída a Caravaggio é vendida antes de leilão

'Judith e Holofernes' seria leiloada na quinta-feira, mas foi vendida para um colecionador

Redação, AFP

25 de junho de 2019 | 14h56

A pintura Judith e Holofernes, atribuída a Caravaggio e que seria leiloada na quinta-feira na França, foi vendida para um comprador estrangeiro, anunciou a casa de leilões Marc Labarbe nesta terça-feira, 25. 

"A venda é protegida por um acordo de confidencialidade em relação ao preço e à identidade do comprador", disse em um comunicado a Casa Labarbe, que descobriu a tela em um sótão na França em 2014. "Recebemos uma oferta que tivemos que fazer."

O fato da oferta vir de um colecionador próximo a um grande museu convenceu o vendedor a aceitá-la, disse em comunicado o especialista em arte Eric Turquin, que examinou o trabalho alguns dias depois da descoberta. "Devemos aceitar a decisão do nosso cliente", acrescentou o leiloeiro Marc Labarbe.

A tela de 144 x 173 cm, que mostra Judith decapitando Holofernes, foi estimada em até 170 milhões de dólares. Os especialistas determinaram que ela foi pintado em 1607 e aparentemente esquecida em um sótão por mais de 100 anos até sua descoberta. Um oficial da missão napoleônica poderia tê-lo trazido da Itália, mas todas as opções estão na mesa.

Tudo o que sabemos sobre:
Caravaggio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.