Tomas Bravo/ Reuters
Tomas Bravo/ Reuters

Pintor e escultor mexicano José Luis Cuevas morre aos 83 anos

Artista tem sua obra reunida desde 1992 em um museu que leva o seu nome no centro histórico da Cidade do México

EFE

04 Julho 2017 | 09h03

O pintor e escultor mexicano José Luis Cuevas morreu nesta segunda-feira, 3, aos 83 anos, na cidade do México, informou a titular da Secretaria de Cultura do México, María Cristina García.

"Meu profundo pesar pela morte de José Luis Cuevas, um dos nossos maiores artistas plásticos do século XX. Minhas condolências aos seus familiares", disse García em mensagem divulgada no Twitter.

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, também comentou a morte do artista, expressando condolências aos familiares, aos amigos e à comunidade cultural pela morte de Cuevas, representante de uma geração responsável por uma ruptura no país.

"Artista do México e do mundo, José Luis Cuevas será lembrado sempre como um sinônimo de liberdade, criação e universalidade", disse o presidente.

A obra de Cuevas está reunida desde 1992 em um museu que leva o seu nome no centro histórico da Cidade do México. O pintor e escultor nasceu na capital do país em 1934. Aos sete anos, venceu um concurso de desenho promovido pela Secretaria de Educação Pública e é considerado um artista autodidata.

Cuevas estudou na Escola Nacional de Pintura e Escultura La Esmeralda, mas abandonou o curso após sofrer de febre reumática e ficou dois anos de cama, tempo que passou imerso no desenho e na literatura.

A carreira de Cuevas foi marcada pelas críticas à Escola Mexicana de Pintura, postura que o colocou na liderança do movimento artístico chamado de ruptura, ao lado de artistas como Maneul Felguérez, Vicente Rojo e Fernando García Ponce. EFE

 

Mais conteúdo sobre:
ArteMemória

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.