Pesquisa de fôlego sobre ser jovem na metrópole

Obra da editora Terceiro Nome terá lançamento hoje na Ação Educativa

O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2014 | 00h00

A reunião de ''''Japas e Manos'''' na estação Conceição do metrô, a dieta vegetariana e sem álcool dos Straight Edges, a balada dedicada ao Senhor. Jovens na Metrópole - Etnografias de Circuitos de Lazer, Encontro e Sociabilidade, que será lançado hoje, contempla e analisa expressões, atitudes e opções de vida escolhidas pela juventude que atualmente vive na grande São Paulo. A obra é fruto do mais recente trabalho do Núcleo de Antropologia Urbana (NAU) da Universidade de São Paulo e foi organizado pelo professor José Guilherme Cantor Magnani e Bruna Mantese de Souza, autora da pesquisa sobre os Straight Edges.''''Percebemos que a maioria das pesquisas atuais que vínhamos desenvolvendo envolviam a temática da juventude e pensamos em que reuni-las em um livro'''', conta Bruna. O NAU existe desde 1988 e é dedicado ao aprofundamento de questões relacionadas à antropologia urbana. ''''Nosso próximo trabalho falará da relação dos deficientes auditivos na metrópole'''', conta Magnani.Durante o processo de pesquisa, os alunos do núcleo procuram seguir orientações básicas como, por exemplo, a forma com que essas tribos se organizam e se relacionam com a metrópole. ''''Assim todos os textos foram fundamentados sobre uma mesma metodologia'''', diz o professor, que sempre convida um aluno para ajudar na organização da obra. ''''É um olhar de jovens sobre outros jovens.''''A escolha dos grupos apresentados em Jovens na Metrópole ficou a critério de cada um dos estudantes. Os forrozeiros do Baixo Pinheiros, os instrumentistas que escolheram uma loja da Rua Teodoro Sampaio como ponto de encontro e os pichadores que deixam sua cicatriz a cada esquina da capital são outras três tribos presentes neste ciclo de pesquisas. ''''Tivemos trocas intensas: todos leram, comentaram ou sugeriram mudanças nos textos dos outros pesquisadores. Apesar de ser uma coletânea, os capítulos relacionam-se entre si'''', diz Bruna.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.