Pequena história do grafite na Argentina

Os lançamentos internacionais podem ser encontrados na Livraria Saraiva, Av. Roque Petroni Jr., 1.089, tel. 5181-7574

, O Estadao de S.Paulo

14 Março 2009 | 00h00

Graffiti Argentina Maximiliano Ruiz Thames & Hudson Págs., R$ 60,80 Colaboração entre o cineasta Maximiliano Ruiz e três designers gráficos, Pauline Aubry, Damian E. Regazzoni e Jorge Cordoba, o livro conta uma "história visual" do grafite na Argentina, desde os anos 70, quando os argentinos ainda viviam sob a ditadura, até os dias de hoje. Para tanto, eles percorreram o país em busca de relatos, entrevistando artistas de hoje e de então. Os autores também reproduzem séries de desenhos e mostram como cada ambiente urbano - metrôs, parques, prédios - ganhava estilo específico de grafite. Por fim, procuram mostrar como os grafites acabaram por deixar as ruas e, em escritórios de design e marketing, acabaram moldando a identidade visual do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.