Passado é reescrito à revelia dos gibis

Incongruências e liberdades marcam versão, que tem um climão de western

Jotabê Medeiros, O Estadao de S.Paulo

30 de abril de 2009 | 00h00

Wolverine Origins, pela cronologia da série cinematográfica (os filmes X-Men, X2 e O Confronto Final), se situaria como uma história anterior ao primeiro filme dos X-Men. Aí começam os problemas: como explicar então dois Dentes-de-Sabre (Tyler Mane e Liev Schreiber) tão diferentes? Dentes-de-Sabre e Wolverine são inimigos figadais. Em Wolverine Origins, são ligados por laços de sangue. Ambos seriam imortais e nasceram no século 19 - há referências a isso nas HQs, mas eles seriam de clãs diferentes.Série e gibis se distanciam. Logan, ou Wolverine, encontra Cíclope ainda adolescente nesse filme. Mas logo se tornarão rivais na luta pelo coração de Jean Grey, a Fênix Negra. A primeira amada do Wolverine, nos quadrinhos, era a trágica japonesa Mariko. Agora, é Kayla, ou Silver Fox, sem protagonismo nos gibis. Há incongruências também com os poderes dos X-Men. O balofo Blob, que controla a densidade do seu corpo, tem seu poder explicado apenas como uma compulsão incrível por comida. O visual do ultravilão mutante do filme, Deadpool, parece ter sido tirado das páginas de Hellraiser. Exagero. Não é um grande filme, mas tem um certo sabor de western spaghetti, aquela fleuma de Sete Homens e um Destino. A introdução do filme é bem bacana, embora contenha uma imprecisão histórica, segundo mostra o IMDb (diz um cartaz: Canadá, 1845; mas o Canadá só virou nação em 1867).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.