REUTERS/Charles Platiau
REUTERS/Charles Platiau

Paris reabre primeiro museu em regime de flexibilização

O Instituto Giacometti, dedicado às obras do escultor Alberto Giacometti, segue cuidados rígidos, mantém distanciamentos e só permite o ingresso de quem marcar hora

O Estado de S.Paulo, O Estado de S.Paulo

15 de maio de 2020 | 18h34

Um das primeiras experiências de reabertura de um equipamento cultural pós isolamento vem de Paris. Nesta sexta (15), o museu dedicado ao trabalho do escultor Alberto Giacometti foi reaberto ao público tomando todos os cuidados, conforme noticiou. O Instituto Giacometti trata-se de um dos primeiros centros de arte a ser submetido à retomada de atividades na França desde o início da flexibilização do lockdown causado pelo coronavírus.

O museu permite a entrada de dez pessoas a cada 20 minutos e apenas com hora marcada. As filas de espera são espaçadas e os horários de funcionamento se tornaram mais curtos. Os principais museus da cidade, como o Louvre, seguem de portas fechadas já há oito semanas. “Fora do trabalho, costumo passar todo o meu tempo em museus, e sinto falta deles desde meados de março”, disse Laurent Koch, um funcionário da área de finanças. 

O Instituto funciona em um edifício do estilo art déco de 350 metros quadrados em Montparnasse, em Paris. Além de novos guias em áudio, conta também com álcool em gel para as mãos dos visitantes. Será permitida a entrada de 180 pessoas por dia, quantidade três vezes menor do que a normal.

Tudo o que sabemos sobre:
Alberto GiacomettiParis [França]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.