Paradise Now e a dor e a beleza de morrer por um ideal

Quem são os terroristas? O que come, sonha, vive, fala e pensa essa figura tão mítica e temida dos nossos tempos? Quem são esses agentes do terror? Se a figura em questão forem homens que aceitam explodir seus miolos e ideais em prol de uma causa divina e também humana, esses terroristas são muitas vezes rapazes sem oportunidade, aprisionados em realidades extremamente duras e que lhes deixam poucas escolhas a fazer na vida.Uma delas é engajar-se na luta pela liberdade de um povo. É a esfera doméstica de dois jovens terroristas amigos de infância que se engajam na luta pela libertação da Palestina que está em primeiro plano em Paradise Now (22 horas no Telecine Cult). Said (Kais Nashef) e Khaled (Ali Suliman) são convocados para virar homens-bomba em um atentado em Tel-Aviv. O que a priori parece ser a grande chance de se tornarem heróis torna-se uma grande armadilha. Por esse belo retrato de um universo do qual se fala muito, mas se sabe na verdade muito pouco, o diretor Hany Abu-Assad concorreu ao Oscar de melhor filme estrangeiro de 2005. Não levou, mas lançou um olhar tão contundente sobre esse assunto explosivo que entrou em cartaz até em Israel e ganhou o Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.