Paquera na areia

Joaquina, Mole e Brava, que nada! As areias do Riozinho do Campeche agora são as mais cobiçadas. Com mar "azul-Caribe" e bares descolados, a praia virou um badalado reduto jovem: na alta temporada, chega a receber 15 mil visitantes por dia. São pessoas bronzeadas e de bem com a vida, atraídas pelas belezas naturais e pelo clima de paquera. Nas areias, frescobol e futevôlei; na água, a pedida é o kitesurfe. Barcos que saem da Praia da Armação levam ao Campeche, que já nos anos 20 fascinava pessoas ilustres, como o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry.A praia é tombada pelo Patrimônio Arqueológico e Paisagístico Nacional. Basta um passeio na Ilha do Campeche para entender a razão: no local, há cerca de 160 inscrições rupestres, herança dos índios carijós.Informações: www.visitefloripa.com.brNÃO É SÓ ESPETINHO GASTRONOMIA NOTA 10Florianópolis nunca sai de moda. E não apenas pelas praias: a gastronomia também é atração. Ninguém pode deixar a capital, maior produtora de ostras do País, sem provar os diversos pratos com o molusco. Em Ribeirão da Ilha, duas dicas. No Ostradamus (www.ostradamus.com.br), peça ostras ao bafo ou à milanesa (R$ 15 a dúzia). No Rancho Açoriano (www.ranchoacoriano.com), fique com as gratinadas. Ao redor da Lagoa da Conceição, os restaurantes servem outra especialidade: a seqüência de camarão (frito, ao alho e óleo...).

O Estadao de S.Paulo

23 de outubro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.