Papo firme: o Rei vai salvar a noite do ''Natal da crise'' dos brasileiros

Dia 25, depois da novela, Globo exibe o especial de Roberto Carlos, assegurando aos fãs a maior tradição natalina da TV

Bruno Lousada, O Estadao de S.Paulo

12 de dezembro de 2008 | 00h00

Em uma noite só, Roberto Carlos aventurou-se em vários estilos musicais. Cantou do sertanejo à bossa nova, para delírio do público, que lotou a Arena Multiuso, na Barra da Tijuca. E acredite: o Rei ?puxou? o samba A Deusa da Passarela ao lado de Neguinho da Beija-Flor e de integrantes da escola de Nilópolis. Por segundos, Roberto, com uma batuta em mãos, fingiu reger a bateria da escola bicampeã do carnaval do Rio. Só não se arriscou a sambar. "Eu só vou olhar. Essa praia é outra." Quem quiser testemunhar esse feito deve conferir o especial de fim de ano gravado anteontem para a TV Globo e que vai ao ar no dia 25, depois da novela A Favorita. Tradição natalina nos lares brasileiros, o Rei comandou com a delicadeza de sempre a massa apaixonada - formada em sua maioria por mulheres de meia-idade. O público só se irritou com o atraso do início do show, de 1h20, o que provocou muitas vaias. Mas a reconciliação veio assim que Roberto Carlos foi avistado em meio à profusão de luzes coloridas do palco e entoou os primeiros versos de Emoções. Estava perdoado pelas 9 mil pessoas presentes na arena. "Obrigado, mais uma vez, por esse carinho, por tudo que eu tenho recebido de vocês desde que eu nasci. E olha que faz muito tempo", disse, soltando sua risada característica. Desta vez, Roberto chamou Rita Lee como sua convidada especial. O dueto funcionou bem, com uma química incrível. Eles cantaram Papai me Empresta o Carro, Parei na Contramão, Flagra, Splish Splash, Mania de Você, Cama e Mesa, Baila Comigo e Papo Firme. "Como ele é elegante. Aí que entendi a história do Rei. Ele tem uma majestade, mas é elegante, educadíssimo, simples. Dou o maior valor", elogiou Rita Lee, enquanto preparava-se para o show no camarim. Dali para frente, foi um hit atrás do outro: Negro Gato, É Preciso Saber Viver, Como É Grande o Meu Amor por Você... O especial teve participação ainda de Zezé di Camargo e Luciano. O show atingiu o clímax quando Caetano Veloso entrou em cena. A platéia levantou-se para ovacioná-lo. Roberto recebeu o cantor e compositor baiano com um afetuoso abraço e disse: "Eu tive a honra de fazer, recentemente, um show em homenagem à bossa nova, que virou CD. Estou feliz com esse trabalho." Caetano retribuiu o carinho com poucas palavras. "Imagine eu", respondeu. O espetáculo terminou com a costumeira Jesus Cristo e farta distribuição de rosas. O Natal tradicional dos brasileiros telemaníacos mais uma vez está salvo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.