Alessandro Scotti
Alessandro Scotti

Paolo Roversi clica oito mulheres para calendário, inspirado em peça de Shakespeare

Criado em 1964, o Calendário Pirelli tornou-se algo mais que uma luxuosa peça publicitária para a empresa italiana de pneus: item de colecionador, o objeto reflete também os anseios da sociedade na época

Ubiratan Brasil, O Estado de S. Paulo

04 de agosto de 2019 | 20h12

As artes estão povoadas de histórias de amor impossível, mas nenhuma talvez mais amada e conhecida que a de Romeu e Julieta, peça escrita por William Shakespeare nos primórdios de sua carreira, entre 1591 e 1595. Pois foi baseado especificamente em Julieta que o fotógrafo italiano Paolo Roversi criou o conceito das fotos que vão integrar o Calendário Pirelli de 2020, denominado Looking for Julieta (Procurando por Julieta).

A partir da interseção de amor, força, juventude e beleza personificada pela protagonista feminina, Roversi convidou nove mulheres para interpretar o papel de Julieta. As imagens, portanto, vem da sessão de casting, quando essas mulheres posam para fotos como se disputassem um papel.

Em sua escolha, Roversi buscou privilegiar um leque de opções, que inclui as atrizes britânicas Claire Foy, Mia Goth e Emma Watson, as norte-americanas Indya Moore, Yara Shahidi e Kristen Stewart; duas cantoras, a chinesa Chriss Lee e espanhola Rosalia e a artista franco-italiana Stella Roversi.

As locações escolhidas pelo fotógrafo foram Paris e, logicamente, Verona, cidade onde se passa o drama shakespeariano. Durante uma semana do mês de maio, ele fotografou, sempre movido por uma esperança: “Ainda estou procurando pela minha Julieta, o que farei por toda a minha vida. Porque Julieta é um sonho”, disse ele. E a busca torna-se ainda mais infinita ao se conhecer melhor o trabalho de Roversi, profissional para quem o tempo torna-se suspenso e quase indefinido.

“Uma intensidade tornada possível por meio de exposições longas que permitem um diálogo entre o fotógrafo e o assunto, criando um entendimento que é palpável e personifica as emoções intangíveis, mas reconhecíveis, como o misticismo e devoção, contemplação e êxtase”, observa o texto analítico, distribuído pela Pirelli. “As imagens de Paolo Roversi evocam emoções e sensações sensuais, sensações de sonhos com luz que recorda os mosaicos de Ravena, sua cidade natal. Suas fotografias revelam a graça e a fragilidade da figura feminina.”

O italiano não analisa seu trabalho como uma simples reprodução da realidade. “É uma revelação, porque, quando tiro uma foto, sinto que estou tocando uma outra vida e um outro mundo”, comenta.

Assim, as oito mulheres escolhidas para posar para o calendário do próximo ano, entre atrizes e modelos, incorporam um conceito de amor e, graças ao seu histórico pessoal e profissional, poderiam facilmente desempenhar o papel de uma moderna Julieta.

É o caso da jovem atriz britânica Emma Watson que, com seus 100 milhões de seguidores nas mídias sociais, certamente seria a Julieta com o maior público. Ou ainda de Indya Moore, a primeiro modelo transgênero a desfilar em passarelas representando grandes casas de moda. Também ganha força a espanhola Rosalia, a mais latina das candidatas a Julieta, responsável por ter modernizado o flamenco, misturando-o com o R&B, o hip-hop e a música eletrônica.

Já a atriz e modelo Kristen Stewart é o que se pode chamar de símbolo do amor sem fronteira se for levada em consideração sua participação na saga Crepúsculo – como a divergência entre as famílias Montecchio e Capuleto impede o amor entre Romeu e Julieta, aqui ela vive Bella Swan, a moça que se apaixona pelo vampiro Edward.

Criado em 1964 e com uma breve parada entre 1975 e 1983, o Calendário Pirelli tornou-se algo mais que uma luxuosa peça publicitária para a empresa italiana de pneus: item de colecionador, o objeto reflete também os anseios da sociedade na época, especialmente quando o fotógrafo convidado busca algo maior que simplesmente apresentar a nudez. Em 2015, por exemplo, a americana Annie Leibovitz, que se notabilizou como fotógrafa na revista Rolling Stone, escolheu mulheres que se destacavam em sua atividade, como a tenista Serena Williams.

Quem é - Paolo Roversi, fotógrafo italiano

Nascido em Ravena, na Itália, em 1947, é conhecido por seu estilo de fotografar, em que combina uma linguagem visual clássica com elementos dramáticos. O fotógrafo soma mais de 40 anos de carreira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.