Outra história de má-educação, pela argentina Lucrecia Martel

Em 2004, Pedro Almodóvar concorria no Festival de Cannes com La Mala Educación, que no Brasil ficou sendo Má-Educação. Naquele mesmo ano, a empresa El Deseo, de Almodóvar, produzia outro filme presente na seleção oficial do maior festival de cinema do mundo - A Menina Santa, de Lucrécia Martel. A própria Lucrécia, posto que seu filme passou depois, concordava, rindo, quando lhe diziam que seu filme era La Mala Educación 2.Outro caso de má-educação, agora da menina que habita um hotel com a mãe. Chega um grupo de médicos que participa de uma convenção. Um toque acidental de um dos homens maduros na menina desencadeia nela um processo doentio que a leva a perseguir o cara. Um caso de abuso sexual às avessas, cuja revelação poderá destruir a carreira (e a vida familiar) do cidadão respeitável.Com O Pântano, Lucrécia Martel revelou-se uma das mais interessantes figuras do novo cinema argentino. A Menina Santa, às 20h05 no Telecine Cult, confirmou sua posição privilegiada. Do pântano à piscina deste filme, as águas rolam sempre turvas (Las Águas Bajam Turvias, um famoso filme argentino) em seu cinema. A Menina Santa perturba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.