Oui, somos tropicais

Entre prêmios, projetos e exposições, o Triptyque, formado por três franceses e por uma brasileira, ganha o mundo com sua arquitetura orgânica

Daniel Piza, O Estadao de S.Paulo

05 de setembro de 2009 | 00h00

Ele não está na programação do Ano da França no Brasil, mas 2009 tem sido marcante para o escritório de arquitetura Triptyque, formado por três franceses e uma brasileira que estudaram juntos em Paris e fizeram de São Paulo a sede de uma carreira cada vez mais internacional. Carolina Bueno, Greg Bousquet, Guillaume Sibaud e Olivier Raffaëlli atuam há nove anos, mas uma série de prêmios, projetos e exposições tem feito deste um ano especial. Há dez dias, o Triptyque recebeu a menção honrosa do 9º Prêmio Jovens Arquitetos, do Instituto de Arquitetura do Brasil, por seu trabalho na Rua Harmonia. No ano passado, já tinha recebido prêmio semelhante na França.

O país do presidente Nicolas Sarkozy - que chega a Brasília amanhã - é presença importante na fase vivida pelo Triptyque, que, entre outros projetos, está construindo a casa dos atores Vincent Cassel e Monica Belucci no litoral sul baiano e um hotel no Morro de São Paulo, perto de Salvador, encomendado por grupo francês; um conservatório de música e drama em Paris; um prédio de escritórios em Courbevoie, perto da capital; e a adaptação de um galpão em Mazemet, no sul, para artistas. Além disso, o Triptyque é um dos dois finalistas para construção de torre comercial no subúrbio da capital. "Por tudo isso é que decidimos abrir escritório na França", conta Carolina Bueno.

Mas não são apenas os franceses que estão de olho na arquitetura "tropical" e "orgânica" do Triptyque.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.