Oscar sem Brasil

No ano em que Hollywood novamente não escolheu o representante nacional para melhor filme estrangeiro, Sangue Negro e Onde os Fracos Não Têm Vez dividem a disputa, com oito indicações cada um

Flávia Guerra, O Estadao de S.Paulo

23 Janeiro 2008 | 00h00

''''There will be Oscar (Vai haver Oscar)'''', brincou o apresentador da CNN logo após Kathy Bates e Sid Ganis, o presidente da Academia, encerrarem o anúncio dos indicados para o Oscar 2008, fazendo alusão e ironia a There Will Be Blood (Vai haver sangue, ou Sangue Negro, como o filme é chamado em português) e à greve dos roteiristas de Hollywood, que começou em novembro, já azedou a cerimônia do Globo de Ouro e ameaça entornar o caldo da maior e mais midiática festa de premiação do cinema mundial, que, como garantiu Ganis, vai ser celebrada no dia 24 de fevereiro, no Kodak Theater, em Los Angeles, em Hollywood, e transmitida ao vivo pela televisão. Assista ao trailer de alguns indicados Se habemus Oscar, não habemus Brasil. O Ano em Que Meus Pais Saíram de Férias ficou de fora da lista dos cinco finalistas ao Oscar de melhor filme estrangeiro. As vagas foram ocupadas por Polônia, Áustria, Israel, Rússia e Casaquistão. Se a inclusão do Brasil (que não concorre ao Oscar dessa categoria desde 1999) era de certa forma esperada, houve surpresa na exclusão do canadense Denys Arcand, dado como certo por seu A Era da Inocência. Mas surpresa mesmo foi a inclusão de Juno, do jovem canadense Jason Reitman, entre os cinco finalistas a melhor filme. Ele, que também concorre a melhor direção, vai disputar a estatueta ao lado de ninguém menos que Desejo e Reparação, Onde Os Fracos Não Têm Vez (de Joel e Ethan Coen), Conduta de Risco e Sangue Negro (de Paul Thomas Anderson). Todos dirigidos por medalhões da indústria cinematográfica e com passagens por festivais como Cannes e Veneza. A briga da vez deve ficar entre Sangue Negro e Onde Os Fracos Não Têm Vez, que lideram a lista de indicações, com oito cada um. Os irmãos Coen concorrem a melhor direção. Anderson, também. Javier Bardem, irreconhecível em Onde os Fracos..., já levou o Globo de Ouro de melhor ator há dez dias e disputa o Oscar de melhor coadjuvante. Bardem havia concorrido a melhor ator em 2000, por Antes do Anoitecer. Já Sangue Negro tem como quase certa a premiação de melhor ator para Daniel Day-Lewis, no papel de um escroque capitalista. Lewis levou uma estatueta por Meu Pé Esquerdo, em 1989. Completam a lista dos atores George Clooney (Conduta de Risco), Vigo Mottersen (Senhores do Crime), Tommy Lee Jones (No Vale das Sombras) e Johnny Deep (Sweeney Todd The Demon Barber of Fleet Street), como mostra a tabela abaixo. Quando venceu a segunda edição do Festival de Cinema de Roma, em outubro, o jovem diretor canadense Jason Reitman (o mesmo de Obrigado por Fumar) estava de fato surpreso. Responsável pelo também jovem e arrojado Juno, ele nem ao festival de Roma havia ido (mora em Nova York), por achar que não teria a menor chance (e também porque coincidia com o primeiro aniversário de sua filha). Hoje, depois de saber que é a zebra da vez entre os cinco indicados para o Oscar de melhor filme, está mais surpreso ainda. Juno é contundente e cortante em seu argumento e, mais ainda, em seus diálogos. Conta a história de uma garota que engravida aos 16 anos e decide levar adiante a gravidez, mas, em vez de criar o filho, escolhe doá-lo a um casal. O filme emocionou a todos do júri de Roma, formado por jovens europeus escolhidos em vários países, e presidido por apenas um ''''profissional'''', o diretor bósnio Danis Tanovic. A personagem de Juno é impecavelmente interpretada por Ellen Page que representa uma história forte, mas com muito humor. Não é à toa que Page é a zebra na lista das indicadas para melhor atriz. E briga pelo prêmio com divas como Cate Blanchett (Elizabeth: A Era de Ouro), Julie Christie (Longe Dela), Marion Cotillard (Piaf - Um Hino ao Amor) e Laura Linney (The Savages). ''''Vocês não imaginam como me sinto. Eu não vinha para este festival. Ontem à noite, ligaram para mim e disseram: ''''Você tem de vir porque você ganhou.'''' Imagine! Peguei o primeiro vôo para cá'''', declarou Reitman, em Roma. O jovem diretor, que já apresentou um bom trabalho em primeiro filme, Obrigado por Fumar, continua com a sua verve sarcástica e inteligente neste segundo. Juno oferece o que o jovem público de cinema quer. É ágil, flerta com a linguagem e os diálogos dos quadrinhos, tem diálogos cortantes, além de ser uma produção baratíssima para os padrões de Hollywood. E não deixa de ter uma visão inteligente e crítica diante do niilismo cultural, de valores e social, que vivem as novas gerações de todo o mundo. O Estado afirmou em outubro que o filme tinha potencial e que era bom ficar de olho em Reitman, pois ele só tem 30 anos e pode chegar mais longe ainda. De fato, seus caminhos já o levaram muito mais longe que Roma. A DISPUTA ENTRE OS ESTRANGEIROS SEM LATINOS: '''' Só lamento não ver nenhum filme latino na final. O candidato mexicano, por exemplo, Luz Silenciosa, tem sido muito elogiado'''', disse o diretor Cao Hamburger ao saber que O Ano em Que Meus Pais Saíram de Férias não foi selecionado como finalista ao Oscar de melhor filme estrangeiro. O Brasil perdeu a vaga para o austríaco The Counterfeiters, de Stefan Ruzowitzky; o israelense Beaufort, de Joseph Cedar; o casaque Mongol, de Sergei Bodrov; o polonês Katyn, de Andrzej Wajda; e o russo 12, de Nikita Mikhalkov. ''''Ouvi dizer que, depois do romeno vencedor de Cannes ter ficado de fora, a tendência da Academia era redimir este erro escolhendo ''''filmes de temática muito séria e pesada'''' para a final. E foi o que aconteceu'''', disse Hamburger, que não assistiu a nenhum finalista. ''''Devem ser ótimos filmes. Beaufort e The Counterfeiters estavam no Festival de Berlim ano passado, mas não tive tempo de ver.'''' Procede. The Counterfeiters conta a história de judeus obrigados a fabricar moedas falsas para o exército nazista. Já Katyn narra o massacre de poloneses durante a 2ª Guerra. Apesar da falta da boa notícia, Hamburger diz-se satisfeito. ''''Fomos longe. Éramos nós contra 63 filmes! E foi fruto de muito trabalho da Gullane Filmes (produtora do filme), do Ministério da Cultura, das Relações Exteriores... A meta era botar o filme entre os nove finalistas, o que não ocorria desde 1999 (quando Central do Brasil ficou entre os cinco). E conseguimos. O resto, seria sorte.'''' Hamburger já toca novos projeto de ficção. ''''Xingu, sobre a criação da reserva indígena, e UTI, um thriller sobre a morte'''', contou o diretor, que dá continuidade à carreira do filme nos EUA. ''''Até hoje, o plano era estrear em dez cidades com 25 cópias. E isso não deve mudar.'''' Os Indicados FILME Juno Desejo e Reparação Conduta de Risco Onde os Fracos Não Têm Vez Sangue Negro DIRETOR Paul Thomas Anderson (Sangue Negro) Ethan Coen e Joel Coen (Onde os Fracos Não Têm Vez) Tony Gilroy (Conduta de Risco) Jason Reitman (Juno) Julian Schnabel (O Escafandro e a Borboleta) ATOR George Clooney (Conduta de Risco) Daniel Day-Lewis (Sangue Negro) Tommy Lee Jones (No Vale das Sombras) Viggo Mortensen (Senhores do Crime) Johnny Depp (Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet) ATRIZ Cate Blanchett (Elizabeth - A Era de Ouro) Julie Christie (Longe Dela) Marion Cottilard (Piaf - Um Hino ao Amor) Laura Linney (A Família Savage) Ellen Page (Juno) ATOR COADJUVANTE Casey Affleck (O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford) Javier Bardem (Onde os Fracos Não Têm Vez) Philip Seymour Hoffman (Jogos do Poder) Hal Holbrook (Na Natureza Selvagem) Tom Wilkinson (Conduta de Risco) ATRIZ COADJUVANTE Cate Blanchett (Não Estou Lá) Ruby Dee (American Gangster) Saoirse Ronan (Desejo e Reparação) Amy Ryan (Medo da Verdade) Tilda Swinton (Conduta de Risco) ROTEIRO ORIGINAL Diablo Cody (Juno) Nancy Oliver (Lars and the Real Girl) Tony Gilroy (Conduta de Risco) Brad Bird (Ratatouille) Tamara Jenkins (A Família Savage) ROTEIRO ADAPTADO Christopher Hampton (Desejo e Reparação) Sarah Polley (Longe Dela) Ronald Harwood (O Escafandro e a Borboleta) Joel & Ethan Cohen (Onde os Fracos Não Têm Vez) Paul Thomas Anderson (Sangue Negro) FOTOGRAFIA O Assassinato de Jesse James... Desejo e Reparação O Escafandro e a Borboleta Onde os Fracos Não Têm Vez Sangue Negro EDIÇÃO O Ultimato Bourne O Escafandro e a Borboleta Na Natureza Selvagem Onde os Fracos Não Têm Vez Sangue Negro DIREÇÃO DE ARTE O Gângster Desejo e Reparação A Bússola de Ouro Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet Sangue Negro FIGURINO Across the Universe Desejo e Reparação Elizabeth - A Era de Ouro Piaf - Um Hino ao Amor Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet TRILHA SONORA Dario Marianelli (Desejo e Reparação) Alberto Iglesias (O Caçador de Pipas) James Newton Howard (Conduta de Risco) Michael Giacchino (Ratatouille) Marco Beltrami (Os Indomáveis) CANÇÃO Falling Slowly (Once) Happy Working (Encantada) Raise it Up (O Som do Coração) So Close (Encantada) That?s How You Know (Encantada) MAQUIAGEM Norbit Piaf - Um Hino ao Amor Piratas do Caribe - No Fim do Mundo EDIÇÃO DE SOM Onde os Fracos Não Têm Vez Ratatouille Sangue Negro Transformers O Ultimato Bourne MIXAGEM DE SOM O Ultimato Bourne Onde os Fracos Não Têm Vez Ratatouille Os Indomáveis Transformers EFEITOS ESPECIAIS A Bússola de Ouro Piratas do Caribe - No Fim do Mundo Transformers ANIMAÇÃO Persépolis Ratatouille Surf?s Up FILME ESTRANGEIRO Beaufort (Israel) The Counterfeiters (Áustria) Katyn (Polônia) Mongol (Casaquistão) 12 (Rússia) DOCUMENTÁRIO EM LONGA-METRAGEM No End in Sight Operation Homecoming: Writing the Wartime Experience Taxi to the Dark Side War/Dance Sicko - SOS Saúde DOCUMENTÁRIO EM CURTA-METRAGEM Freeheld La Corona Salim Baba Sari?s Mother ANIMAÇÃO EM CURTA-METRAGEM I Met the Walrus Madame Tutli-Putli Même Les Pigeons Vont au Paradis My Love Peter & The Wolf CURTA-METRAGEM At Night Il Supplente Le Mozart des Pickpockets Tanghi Argentini The Tonto Woman

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.