Os ricos bastidores do clássico Por Quem os Sinos Dobram

Histórias de bastidores normalmente enriquecem a carreira de determinados filmes. É o caso de um que se tornou clássico, Por Quem os Sinos Dobram, que o canal F&A exibe às 20 horas. A história original é de Ernest Hemingway, que vendeu os direitos autorais por uma verdadeira fortuna na época (início dos anos 1940): US$ 100 mil. Não satisfeito, fez outras exigências como a escalação de Gary Cooper e Ingrid Bergman para os papéis principais - ele dizia que já escrevera o livro com Ingrid em mente como protagonista. Ela faz a bela Maria, que mantém um envolvente romance com o revolucionário Jordan. O filme era um dos principais projetos do produtor David Selznick que, antes do início das filmagens, fez uma lista de detalhes. "A coisa mais importante são as calças que ela vai vestir", escreveu o produtor, grafando "calças" em vermelho. Isso porque um dos executivos dos estúdios Paramount, segundo Selznick, tinha "uma idéia meio estranha de ela ser muito pesada nos quadris". Em segundo lugar na relação de importância do produtor vinha a ordem de entregar o roteiro do filme para a estrela pelo menos dois dias antes dos testes. Tanta preocupação tornou o filme um clássico.

Ubiratan Brasil, O Estadao de S.Paulo

04 Fevereiro 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.