Os programas que valem a pena ver

CinemaMISCELÂNIA: Você pode ver desde Rock Estrela, de Lael Rodrigues, com Débora Bloch, às 18 horas de amanhã na Cinemateca Brasileira, até A Queda da Casa de Usher, clássico silencioso (e fantástico) de Jean Epstein, às 19h30 no Sesc Vila Mariana. Esse diretor francês foi teórico importante nos primórdios do cinema e seu filme adaptado de Edgar Allan Poe é considerado a resposta surrealista ao expressionismo francês.Nenhum programa promete ser mais exótico do que O Massacre da Serra Elétrica, o original de Tobe Hooper, de 1974, às 23h59, no cemitério de Vila Nova Cachoeirinha. No centro, no mesmo horário, faltando um minuto para a 0 h de domingo, o Cine Dom José exibe o Planeta Terror de Robert Rodriguez. Ali do lado, no Cine Olido, Shortbus, de John Cameron Mitchell, é provocação regada a cenas de sexo explícito. Monte sua agenda da Virada CulturalÀ 1 h (domingo) no CineSesc, Nelson Hoineff desvenda a personalidade do polêmico jornalista Paulo Francis em Caro Francis. À 1h40, o HSBC Belas Artes passa Ratatouille, e às 2 h, no Cine Dom José, A Noite dos Mortos Vivos, clássico de terror de George Romero.TeatroSERTÃO URBANO: Teatro de bonecos, de sombras e projeções, tudo sobre um palco cheio de traquitanas tecnológicas, porém ocupado por contadores de histórias, vindos diretamente de Cordisburgo, terra natal de Guimarães Rosa. Versão para olhares urbanos do romance Grande Sertão: Veredas é o que promete o espetáculo Sertão no Meio do Redemoinho. A apresentação começa às 11 horas num palco instalado ao lado do Sesc da Avenida Paulista. "Muitos falam desse livro, mas poucos leram. A intenção é compartilhar sua leitura", diz Ricardo Fernandes, diretor da montagem que faz pré-estreia hoje na cidade mineira de Cordisburgo. TRATOR: Imagens no YouTube despertam o desejo de conferir suavidade e precisão na dança do bailarino com a retroescavadeira, do espetáculo Transports Exceptionnels, da companhia francesa Beau Geste, que será apresentado na Praça do Correio, em sessões às 19h20; 0h30; 9h50 e 16h35. NO TOPO: Olhe para o alto ao andar pelo centro, pois o grupo Acrobático Fratelli promete belos voos no topo dos prédios.MúsicaDAS MULTIDÕES: Um bom começo de maratona musical é o show de Geraldo Azevedo, às 18h10 de amanhã no palco da Av. São João, que atrai o maior público. Domingo vale a pena conferir Cordel do Fogo Encantado (9 h), Zeca Baleiro (meio-dia) e Novos Baianos (15 h).DO ROCK: Fãs de Raul Seixas terão oportunidade de ouvir todos os seus álbuns na íntegra no palco Toca Raul, na Estação da Luz, 24 h. A maioria das bandas é desconhecida, mas quem abre a maratona são Os Panteras, que gravaram o primeiro álbum com o maluco beleza. Na República, tem os veteranos do Camisa de Vênus, amanhã à 0h10, e a Nação Zumbi, a melhor banda brasileira em atividade hoje, no domingo, ao meio-dia. DO SUINGUE E DO AMOR: Bom para dançar e ouvir é a programação de samba-rock na Av. Rio Branco, que tem os papas do suingue Trio Mocotó, amanhã, às 23 horas. Meia hora depois Wando mexe com a libido das moças no Largo do Arouche, palco dedicado ao brega romântico. À 1h30 tem o rei do gênero, Reginaldo Rossi, na mesma hora em que o Clube do Balanço sacode a Rio Branco. EVITE: Se você não é adolescente louco por balada eletrônica, passe longe da Rua 15 de Novembro. Nas últimas edições, aquela foi a área com mais baixo astral da Virada, além de os calçadões virarem um banheirão. Para ver os shows do Theatro Municipal perde-se muito tempo. A programação é boa, mas a menos que você seja muito fã de algum artista, não vale muito a pena esperar até três horas entre a entrada da fila para obter um ingresso (não garantido por conta da lotação do teatro) e o início do show.VisuaisOFICINA DE FOTOGRAFIA: O projeto Cidade Invertida, formado por fotógrafos e educadores, promove amanhã e domingo oficinas gratuitas de fotografia pinhole na Praça Ramos. A câmera pinhole é especial, mas pode ser feita por qualquer pessoa: basta fazer um furo pequeno em uma caixa lacrada para a entrada de luz e colocar filme fotográfico dentro - e a imagem fica lá dentro invertida. Os interessados não precisam se inscrever, apenas aparecer na praça no centro da cidade, onde estará um trailer do projeto. As aulas ocorrerão nos seguintes horários: 10h30 e 12h30 e 14h e 17h.MUSEUS: Geralmente, como parte da Virada Cultural, alguns museus ficam abertos até mais tarde. A Pinacoteca do Estado (Pça. da Luz, 2, 3324-1000) ficará aberta amanhã até meia-noite e no domingo, até 18 h, como também promoverá programação especial de música e de exibições de documentários feitos pelo francês Jean Manzon. A Pinacoteca ainda realizará amanhã, às 19 h e às 21h, visitas noturnas guiadas por educadores do museu às esculturas abrigadas no Parque da Luz. A Estação Pinacoteca, logo ao lado (Largo General Osório, 66,) não vai alterar seu horário de funcionamento, mas realizará também atividades especiais. Já o MIS (Av. Europa, 158) estenderá ainda mais o horário de funcionamento: amanhã, até às 2h, uma boa oportunidade boa para ver os vídeos da coleção do Museu de Arte Moderna de Paris na mostra Entre-Temps. Há ainda outras atividades no local. InfantilCONTADORES: Amanhã, às 16 horas, o Museu da Língua Portuguesa oferece o espetáculo Contos de Todos os Cantos, com Giba Pedroza, contador de histórias, e Renata Mattar, cantora e pesquisadora da música tradicional brasileira. Será um verdadeiro passeio lúdico por contos, trava-línguas e cantigas populares de alguns países. Local: Espaço Café do Museu, na Praça da Luz. Grátis.COLAGENS: Na manhã de domingo, a partir das 11 horas, em todas as chamadas ?casas históricas? de São Paulo, haverá uma divertida programação batizada de Olhar, Pintar e Colar. O nome já diz tudo. Mas essa também é a chance de toda a família conhecer redutos de pura história da cidade. Veja a lista dos locais: Casa do Tatuapé (Rua Guabijú, 49), Casa do Sitio da Ressaca (Rua Nadra Raffoul Mokodsi, 3), Casa do Sitio Morrinhos (Rua Santo Anselmo, 102 , Jd. São Bento), Casa Modernista (Rua Santa Cruz, 325, Vila Mariana), Capela do Morumbi (Av. Morumbi, 5.387), Casa do Grito (Praça do Monumento, s/n.º, Ipiranga) e Casa do Bandeirante (Praça Monteiro Lobato, s/n.º, Butantã). Tudo grátis. PasseiosAR LIVRE: Não só de palcos e ambientes fechados vive a Virada Cultural. Na Praça da Sé, por exemplo, a partir das 21 horas de sábado, a trupe francesa Les Souffleurs Comandos Poétiques fará uma intervenção declamando versos nos ouvidos daqueles que passarem pelo local. Um pouco mais adiante, na Praça do Correio, os dançarinos da companhia Osmosis vão encenar um espetáculo de rua sobre ilusão e encontros, dançando entre contêineres e máquinas empilhadeiras. O primeiro evento começa às 22h35 do sábado, com repetição na madrugada para o domingo, às 3h55. Aos fanáticos por barulho, a melhor opção é rumar para a Praça do Patriarca onde, no sábado, a partir das 22h20, outro grupo francês, o Mécanique, vai manipular sirenes em um concerto mecânico que poderá ser ouvido em um raio de até três quilômetros. Originalidade promete o grupo norte-americano Mass Ensemble que, às 19h45 do sábado, vai estender cordas de um prédio localizado na Praça Ramos de Azevedo, a 130 metros de altura, até um cavalete instalado no viaduto do Chá. Com isso, estará formada uma harpa gigante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.