Os instrumentos que ''desenham'' a riqueza brasileira

Violonista Maurício Ribeiro abre série de apresentações marcadas pelas fusões

Francisco Quinteiro Pires, O Estadao de S.Paulo

02 de junho de 2008 | 00h00

O violonista mineiro Maurício Ribeiro parece um símbolo do projeto Instrumental Sesc Brasil . Há três anos na estrada com o trabalho Ventania no Cerrado, em que faz um passeio por diversos gêneros brasileiros, Maurício Ribeiro abre amanhã a programação do evento que acontece às terças, no Sesc Paulista. Por meio da mistura e experimentação, do jazz ao eletrônico, e entre o popular e o erudito, diferentes instrumentos desenham nas próximas semanas um painel da música nacional.Um dos vencedores da 8ª edição do BDMG Instrumental, neste ano, Maurício Ribeiro apresenta suas composições, que serão gravadas no CD Ventania no Cerrado no próximo semestre. Com uma ''formação instrumental enxuta'' - Enéias Xavier (baixo), Joana Radicchi (flauta), Vinicius Augustus (sax e flauta) e Edson Fernando (percussão) -, o show de amanhã será um quadro da diversidade rítmica e melódica brasileira.O carro-chefe é o xaxado Ventania no Cerrado, de Maurício Ribeiro, que também vai tocar o afoxé Tô Manco. O choro marca presença com Choro Pelo Meu Time Que Perdeu e De Tardinha em Santa Inês. O violonista diz se preocupar em apresentar o que há de colorido e alegre em termos musicais, por isso ele visita os gêneros populares. E afirma reservar surpresas: o quinteto pode interpretar Milton Nascimento (Tema do Tostão) e Ulisses Rocha (Roda-Gigante).No seu processo de composição, Maurício Ribeiro, que toca também baixo e teclado, absorve desde a influência erudita de Debussy e Villa-Lobos ao compositor e violonista cubano Leo Brouwer. Ele diz que a geração de músicos mineiros à qual pertence tem no instrumentista Toninho Horta forte referência.Na terça da semana que vem, a viola de dez cordas do paraibano Pedro Osmar junta-se à batida eletrônica - e à percussão em materiais sucateados - de Loop B. Eles estão lançando o CD Farinha Digital, cujo título é auto-explicativo. A capa do CD traz a imagem de um prato com arroz, feijão e farinha no espaço da picape onde se coloca o vinil.O pianista André Marques se apresenta ao lado da Orquestra Vintena, que está lançando o primeiro trabalho - De Baque às Avessas - no dia 17. Formada por 20 músicos na cidade de Tatuí há cinco anos, a Orquestra Vintena flerta com as criações de Hermeto Pascoal e, para fazer suas pesquisas, adota diferentes instrumentos: guitarra elétrica, zabumba, violino, flauta. Integrante do Trio Sucupira e do grupo de Hermeto, André lançou recentemente o CD Solo, marcado pelas interpretações criativas de composições próprias, do Cartola e Johnny Alf.Pau Brasil se apresenta na última terça do mês (dia 24). Formado atualmente por Rodolfo Stroeter (contrabaixo), Nelson Ayres (teclados), Paulo Bellinati (violão), Teco Cardoso (saxofone) e Ricardo Mosca (bateria), o grupo adepto das idéias antropofágicas vai levar ao palco composições do primeiro disco - Pau Brasil (1983).Serviço Maurício Ribeiro. Sesc Avenida Paulista (230 lugs.). Avenida Paulista, 119, tel. 3179-3700. Amanhã, às 19 horas. Grátis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.