Os encontros com Elis, Edu Lobo e os Caymmis

São apenas três das produtivas parcerias com músicos e intérpretes que marcaram sua vida artística

Lauro Lisboa Garcia, O Estadao de S.Paulo

02 de junho de 2008 | 00h00

João Gilberto, Vinicius de Moraes, Elizeth Cardoso, Dorival Caymmi, Frank Sinatra, Claus Ogerman, Chico Buarque, Elis Regina, Edu Lobo, Miúcha, Gal Costa. A vida musical de Tom Jobim foi feita da arte de muitos encontros. Alguns deles, retomados entre os relançamentos da Universal, têm história.Elis & Tom, de 1974, é um dos discos mais reverenciados não só da obra do compositor e da cantora, mas de todo o moderno cancioneiro nacional. Título referencial para qualquer discoteca básica, foi remixado pelo arranjador César Camargo Mariano, em 2004, e relançado em DVD-áudio, tendo algumas faixas maior tempo de duração. A versão que sai agora na caixa Brasileiro, é a original, apenas remasterizada. É uma pedrada atrás da outra na voz sublime de Elis, e arranjos idem, com Jobim ao piano e eventuais vocalizações: Águas de Março, Modinha, O Que Tinha de Ser, Retrato em Branco e Preto, Por Toda a Minha Vida, Chovendo na Roseira e por aí vai.Em termos de intensidade e beleza, Caymmi Visita Tom, produção irretocável de Aloysio de Oliveira para o selo Elenco, não fica atrás. E tem também uma relação curiosa com o de Elis, já que ambos são conciliadores de gerações. Em 1974, Elis tinha 29 anos e Tom beirava os 50. Em 1963, ele é quem era o jovem em ascensão e Dorival Caymmi, o quase cinqüentão consagrado.Nessa fusão de Rio com Bahia, Caymmi revelou a canção ...Das Rosas (que abre o disco com ele no vocal e viraria um clássico) e levou a família toda para desfrutar a companhia de Tom. A matriarca Stela interpretou A Canção da Noiva, que é um encanto. Danilo e Dori se integraram ao conjunto tocando flauta e violão, respectivamente. Com Tom ao piano, eles acompanharam os cantores e executaram dois temas instrumentais: Vai de Vez (Roberto Menescal/Lula Freire) e Berimbau (Baden Powell/Vinicius de Moraes). Nana faz dueto com o pai em Inútil Paisagem, uma preciosidade, e impressiona em igual nível de melancolia em Tristeza de Nós Dois e Sem Você. Tom cantou sozinho Só Tinha de Ser Com Você (então inédita) e dividiu os vocais com Dorival numa versão bossa nova de Saudade da Bahia.Sem a graça das vozes femininas, o encontro de Tom com Edu Lobo é pura descontração entre dois dos maiores compositores brasileiros, com Aloysio de Oliveira mais uma vez na produção. Admiradores mútuos, eles destilam clássicos, novidades e raridades autorais, tendo Vinicius como parceiro comum em Canto Triste, É Preciso Dizer Adeus e Canção do Amanhecer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.