Os 90 anos de um ato independente

Artistas como Charles Chaplin e Griffith fundaram os estúdios United Artists, tema de mostra na Reserva Cultural

Ubiratan Brasil, O Estadao de S.Paulo

04 Fevereiro 2008 | 00h00

Imagens de Woody Allen rodando um de seus maiores sucessos, Noivo Neurótico Noiva Nervosa (estranho título nacional para Annie Hall), são alguns dos destaques da exposição United Artists - 90 Anos de Magia no Cinema, que marca o início das comemorações pelo aniversário do estúdio e que pode ser vista na Reserva Cultural, em São Paulo, até o dia 25. São 30 fotografias e pôsteres que contam a história do estúdio e relembram cenas, diretores e atores ilustres, que marcaram época no cinema mundial, nas mais diversas situações. São imagens dos sets de filmagem, making of, cenas e pôsteres de filmes, criação e produção, entre muitas outras que formam um acervo inédito e riquíssimo em qualidade e conteúdo trazido pela primeira vez ao Brasil. É curioso, por exemplo, observar Martin Scorsese orientando Robert De Niro em uma cena de luta em O Touro Indomável. Ou ainda, um distante Marlon Brando aguardando a definição de cena feita pelo diretor Bernardo Bertolucci durante a filmagem de O Último Tango em Paris. O estúdio é lembrado ainda por outros clássicos como Amor Sublime Amor, Perdidos na Noite e Quanto Mais Quente Melhor. Formado em 1919 por Mary Pickford, Charles Chaplin, Douglas Fairbanks e D. W. Griffith, os principais artistas do cinema da época, o estúdio United Artists era uma resposta à política dos grandes produtores, que detinham controle completo sobre a execução de filmes. ''''Eram artistas, também criadores, se reunindo para fugir do intermediário, do simples comerciante. Eles começaram e deram o exemplo de como deve ser hoje em dia o melhor cinema, independente, ousado e criativo'''', diz o crítico Rubens Ewald Filho, convidado a auxiliar na divulgação dos 90 anos, que terá ainda mostras de filmes, palestras, debates, oficinas de cinema entre várias outras ações. Uma delas será o lançamento, em DVD, de 76 dos mais importantes filmes da UA, alguns inéditos neste formato. Na primeira leva, que chega no dia 13 com preço sugerido de R$ 19,90, estão os já citados (com exceção de O Último Tango).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.