Os 19 títulos das duas competições

Doze longas e médias internacionais e sete brasileiros participam das competições do Festival É Tudo Verdade.

, O Estadao de S.Paulo

25 Março 2009 | 00h00

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL AM I BLACK ENOUGH FOR YOU: A HISTÓRIA DE BILLY PAUL: O sueco Goran Olsson traça um retrato contundente do cantor soul que virou sinônimo de militância e resistência nos EUA dos anos 70. ESQUECIDO PAPAI: Dolorosa crônica familiar - em parceria com Matt Sweetwood, o diretor Rick Minnich se indaga se seu pai perdeu a memória num acidente ou voluntariamente tentou escapar a uma vida que o oprimia. O ESQUECIMENTO: A história recente do Peru é contada pelo holandês Heddy Nonigmann a partir de personagens comuns nas ruas de Lima. ALÉM DO JOGO: O holandês Jos de Putter acompanha a final do campeonato de videogame entre outro holandês e um chinês e avalia a importância do jogo, que virou profissão, em muitas culturas. O MAIOR RESTAURANTE DO MUNDO: O chinês Weijun Chen acompanha a rotina ?militar? do restaurante West Lake, em Changsha, cujos 5 mil lugares estão sempre lotados. PERTURBADOS: O japonês Kazushiro Soda vê numa clínica que trata de pacientes com distúrbios mentais em Tóquio o reflexo da situação do mundo. PROBLEMA É COMIGO: A neozelandesa Juliette Veber investiga diretor de escola em seu país que acredita que nenhum aluno pode ser considerado um caso perdido. Um belo contraponto a Entre os Muros da Escola. RENÉ: A checa Helena Trestikowa ganhou o Oscar do cinema europeu por seu documentário sobre criminoso que, ao longo de 20 anos, sintetiza as mudanças ocorridas na República Checa. RETORNO A FORTIN OLMOS: Autores de um documentário célebre, Patricio Coll e Jorge Goldenberg voltam a cooperativa no norte da Argentina para constatar o que restou do sonho comunitário. SEGUNDAS SANGRENTAS E TORTAS DE MORANGO: Uma crônica sobre o tédio de Coco Schrijber, narrada por John Malkovich. TIAS DURONAS: A inglesa Kim Longinotto traça um retrato das militantes de organização sul-africana que dá apoio a crianças vítimas de abuso sexual. TUDO É RELATIVO: A dimarquesa Mikala Krogh viaja pelo mundo para tentar descobrir como as pessoas reagem às mesmas situações em diferentes países. COMPETIÇÃO NACIONAL A CHAVE DE CASA: Paschoal Samora e Stela Grisoti investigam imigrantes da Palestina que tentam se adaptar à nova vida no Brasil. CIDADÃO BOILESEN: Chain Litewski analisa, a partir do caso do dinamarquês Henning Albert Bouilesen, o apoio do empresariado à repressão durante o regime militar. CILDO: Vida e obra de Cildo Meirelles, um dos mais importantes artistas brasileiros contemporâneos, por Gustavo Rosa de Mora. CORUMBIARA: Vincent Carelli e a gleba no sul de Rondônia em que índios foram massacrados em 1985. GARAPA: José Padilha discute a questão da fome num documentário que integrou a programação do Festival de Berlim. MOSCOU: Depois de Jogo de Cena, Eduardo Coutinho radicaliza as fronteiras entre documentário e ficção SOBREVIVENTES: Pessoas que viveram situações limites são analisadas pela câmera de Miriam Chnaiderman e Reynaldo Pinheiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.