Obras-Primas do figurino, segundo o estilista

Estréia algum novo filme sobre moda, ou com figurinos fulgurantes? Todo mundo quer saber a opinião de Herchcovitch. Ele já se acostumou. Prêt-à-Porter, de Robert Altman? ?Exagerado?, ele fulmina. O Diabo Veste Prada? "Sessão da tarde." Sex and the City? Ele ainda não viu, mas sabe - mais do que acha - que é ruim, e olhem que Sarah Jessica Parker e suas amigas desfilam pelo menos uma peça assinada por Herchcovitch. Pode surpreender muita gente, mas os filmes de moda preferidos do estilista são aqueles em que ela parece diluir-se na trama. Alguns exemplos. DRÁCULA DE BRAM STOKER, de Francis Ford Coppola, com Gary Oldman, Winona Ryder, Anthony Hopkins e Keanu Reeves - "As roupas são todas perfeitas, como conceito e acabamento." Herchcovitch não sabia se algum filme de terror alguma vez recebeu o Oscar de figurino. Yoko Ishioka ganhou o prêmio pelo filme de Coppola, mas o terror aí não é tradicional - é filtrado pelo mórbido romantismo do autor. ELIZABETH - OS ANOS DOURADOS, de Shaki Kappur, com Cate Blanchett e Clive Owen - "O melhor filme de moda dos últimos anos. O figurino de Elizabeth é uma aula de história. As perucas, as roupas. Tudo é minuciosamente reconstituído e, embora os vestidos sejam costurados a máquina e não à mão, como na época, o cuidado é tão grande que só mesmo quem entende pode discernir." PRENDA-ME SE PUDERES, de Steven Spielberg, com Leonardo DiCaprio e Tom Hanks - "As roupas daquelas aeromoças que aparecem o tempo todo no filme foram elaboradas para dizer alguma coisa na trama. Reparem: é um figurino muito sofisticado."

Entrevista com

Luiz Carlos Merten, O Estadao de S.Paulo

06 de agosto de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.