Obras de Warhol arrecadam mais de US$ 150 mi em leilão em NY

Peça 'Triple Elvis', de 1963, foi vendida em apenas seis minutos

O Estado de S. Paulo

13 de novembro de 2014 | 10h05

NOVA YORK - O mestre da pop art Andy Warhol foi o grande nome do leilão da Casa Christie's da última quarta-feira, 12, em Nova York, depois que a peça Triple Elvis foi arrematada por US$ 81,9 milhões e a Four Marlons por US$ 69,6 milhões.

No leilão desta quinta-feira, dedicado à Arte Contemporânea e de Pós-Guerra, o montante total arrecadado pela Casa Christie's chegou ao recorde de US$ 852,9 milhões, muito acima de sua concorrente Sotheby's, que não ultrapassou os US$ 400 milhões na sessão de terça-feira.

Mais de US$ 150 milhões do total foram para duas obras de Warhol que retratam Elvis Presley e Marlon Brando. A peça Triple Elvis, de 1963, que mostra três imagens parecidas do cantor vestido como um pistoleiro, foi vendida em apenas seis minutos por US$ 81,925 milhões, bem acima dos US$ 60 milhões avaliados inicialmente.

Já a Four Marlons, que retrata Marlon Brando em uma motocicleta, foi arrematada por US$ 69,605 milhões, um valor também superior aos US$ 60 milhões calculados pela Christie's.

Além de Warhol, outras obras arrecadaram valores consideráveis. Untitled (it is a blackboard), do americano Cy Twombly, foi vendida um por US$ 69,6 milhões, um valor recorde para o artista falecido há três anos.

Além de Twombly, outros dez artistas alcançaram seu recorde histórico na noite. Entre eles o americano Ed Ruscha, cuja obra Smash foi arrematada por US$ 30,4 milhões; o alemão Martin Kippenberger, que teve um quadro sem título vendido por US$ 22,5 milhões, e o escocês Peter Doig, que arrecadou US$ 18,08 milhões com Pine House (Rooms for Rent).

A decepção ficou por conta de Seated Figure, do britânico Francis Bacon, arrematada por US$ 44,965 milhões, um valor próximo das estimativas mais baixas, que a situavam entre US$ 40 e 60 milhões. 

Tudo o que sabemos sobre:
Andy WarholartesTriple Elvispop art

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.