Sotheby's/ EFE
Sotheby's/ EFE

Obras de Magritte, Kokoschka e Meidner batem recordes em leilão da Sothesby's

Leilão superou expectativas e quadros foram vendidos por US$ 26,8 milhões, 20,4 milhões e 14,1 milhões

AFP

13 Novembro 2018 | 11h41

A casa de leilões Sotheby's abriu a semana de vendas em Nova York com recordes multimilionários para obras de arte moderna e impressionista de autores como René Magritte, Oskar Kokoschka e Ludwig Meidner.

Segundo informou a Sotheby's, no leilão de hoje foi vendido por US$ 26,8 milhões a obra O Princípio do Prazer (Retrato de Edward James), do pintor belga surrealista René Magritte, o que representa um recorde mundial para este autor, conhecido pelas suas engenhosas e provocativas imagens.

Outra das vendas milionárias desta segunda-feira, 12, foi o retrato Joseph de Montesquiou-Fézensac, de Oskar Kokoschka, vendido por US$ 20,4 milhões, um novo recorde de leilão mundial para o artista, que supera em até cinco vezes o anterior, que era de US$ 4,1 milhões para o pintor e poeta de origem austríaca, conhecido principalmente pelos seus retratos e paisagens expressionistas.

Além disso, a Sotheby's vendeu por US$ 14,1 milhões a obra do pintor expressionista alemão Ludwig Meidner Apokalyptische Landschaft, uma pintura profética executada pouco antes da Primeira Guerra Mundial.

Segundo a Sotheby's, a obra do pintor expressionista alemão representa um novo recorde de leilão mundial para o artista, mais de quatro vezes que o recorde anterior de US$ 3,1 milhões.

A Sotheby's assumiu hoje o protagonismo dos leilões de arte em Nova York depois que ontem a Christie's abriu a temporada de leilões com a venda de várias destacadas obras de Van Gogh, Monet e Picasso, que, no entanto, foram recebidas com apagadas propostas que em poucas ocasiões superaram o valor máximo estimado das peças. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.