Mary Altaffer|AP
Mary Altaffer|AP

Obra de Basquiat bate recorde em leilão de arte contemporânea

Autorretrato do artista foi arrematado por US$ 57,3 milhões

Chris Michaud, Reuters

11 de maio de 2016 | 17h02

Um autorretrato de Jean-Michel Basquiat bateu o recorde de preço de obras do artista ao ser arrematado por US$ 57,3 milhões na terça-feira, 10, o que ajudou a casa de leilões Christie's a obter um resultado robusto em sua venda de peças de arte contemporânea em um cenário de incertezas no mercado de arte.

A pintura de grandes dimensões, vibrante e sem título de Basquiat, datada de 1982, havia sido estimada em cerca de US$ 40 milhões, mas dois interessados que participaram do leilão por telefone disputaram a obra até chegarem ao preço final, quebrando o recorde de Basquiat em leilões em US$ 8,5 milhões.

A venda arrecadou um total de US$ 318,4 milhões, bem dentro da estimativa pré-leilão de aproximadamente US$ 280-390 milhões. Só oito das 60 obras em oferta não foram adquiridas.        

O recorde de Basquiat foi especialmente significativo no clima de cautela atual, que vem na esteira de anos de preços em disparada.

Tanto a Sotheby's quanto a rival Christie's vêm arrecadando valores significativamente menores nas vendas da primavera do hemisfério norte, sem obras que sejam estimadas para muito além dos US$ 40 milhões de dólares - em temporadas recentes várias peças romperam a marca dos US$ 100 milhões.

Jussi Pylkkanen, presidente global da Christie's que atuou com leiloeiro, falou em "um mercado no qual as pessoas estão questionando o nível dos preços".

"Tivemos muita disputa quando os objetos foram avaliados em 80 por cento de seu valor", afirmou ele à Reuters.

 

Mais conteúdo sobre:
Artes Visuais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.