O Sherlock que toma aulas com 007

Filme de Guy Ritchie, que começa a ser rodado esta semana, mostra que detetive não é só bom de cálculo, mas ótimo de briga

Flavia Guerra, LONDRES, O Estadao de S.Paulo

06 de outubro de 2008 | 00h00

Que tal ver no cinema as aventuras de um Sherlock Holmes que, em vez de só fumar seu clássico charuto enquanto desvenda engenhosamente as mais intrigantes tramas, parte literalmente para a briga exibindo seus dotes de boxeador? Nada poderia soar mais estranho para os que acham que o detetive mais famoso da Inglaterra raramente deixava seu escritório do número 221B da Baker Street. Mas, para quem é de fato fã incondicional desse arrogante, mas apaixonante personagem, não é nenhuma novidade saber que Holmes não só era bom de braço mas também um ás na esgrima. E que, contrariando todas as regras dos nossos atuais tempos politicamente corretos, buscava energia extra na cocaína para enfrentar as noites em claro que passava investigando obsessivamente cada novo caso. Nada mais elementar, então, que o novo Sherlock Holmes do cinema seja um thriller de ação. E esse projeto digno de James Bond começa a ser rodada na próxima semana, em Londres, com produção de Joel Silver (de fenômenos de bilheteria como Matrix e Duro de Matar) e direção de Guy Ritchie, responsável pela maior bilheteria do verão londrino, RockNRolla, que chega às telas brasileiras no próximo dia 31. Tratando-se da filmografia de Ritchie, é de se esperar que o novo filme tenha os ingredientes que fazem a alegria de seus fãs, ou seja, muita ação, ?grandes sacadas?, humor cáustico, a cena underground da cidade, e, sim, muita violência. "Engana-se quem pensa que vai ser outro ?Guy Ritchie film?. Este não vai ter nada ver com nenhum dos outros longas-metragens que dirigi. Claro que terá muita ação. E que vamos explorar todos esses dotes físicos dele. Por isso, vai ser um filme totalmente diferente de todos que já foram feitos. E, claro, muito melhor", declarou, com bem-humorada ironia, Guy Ritchie, o diretor escalado pela Warner para revelar essa faceta do personagem criado por Arthur Conan Doyle, no final do século 19. "Das facetas que nunca foram bem exploradas e bem contadas na tela sobre o Holmes, a única que não vamos mostrar é a da relação, digamos, exagerada de amizade entre Holmes e Watson, se é que vocês me entendem", emendou, e brincou, o produtor Joel Silver. Para aqueles fãs mais puristas das aventuras de Holmes, que já torcem o nariz só de pensar em ver o detetive perdendo a pose de intelectual, vale dizer que o nome escalado para viver o personagem conta pontos a favor do projeto. Robert Downey Jr., que recentemente emprestou sua genialidade a um, a priori, não muito animador Homem de Ferro, é quem vai gastar todo o seu sotaque inglês para ?repaginar? o velho Holmes. "Como vou fazer o novo Holmes? Melhor que todos que já foram feitos até hoje, claro!", brincou o ator, que já encarou desafios de viver ícones como Charlie Chaplin no cinema. Na terça-feira passada, durante o lançamento do projeto, na Freemasons Hall, no coração de Londres, que servirá como uma das locações do filme, a imprensa britânica estava preocupada em saber como um americano iria ?fazer o sotaque inglês? de um dos maiores símbolos da literatura britânica. Diante da questão embaraçosa, Downey Jr. não se abalou: "De fato, meu sotaque está mais para New Jersey, mas é claro que vou me esforçar. Vou fazer meus exercícios direitinho e, veja só, foi só chegar a Londres que eu já comecei a pegar o ?humor inglês?. Já estou até rindo das piadas internas daqui", brincou ele. "E, cá entre nós, Sherlock é um personagem que ultrapassa o regionalismo e a questão do sotaque. Ele é patriota mesmo, mas é controverso, boêmio e várias vezes contraria até a Scotland Yard. Ou seja, é tão genial que é conhecido e adorado até hoje no mundo todo", emendou o ator. No papel do fiel escudeiro Watson, um britânico. Jude Law vive o melhor amigo de Holmes. Já a paixão do detetive, Irene, será vivida pela jovem atriz canadense Rachel McAdams. O vilão dessa aventura baseada não só nos livros de Doyle, mas principalmente nos quadrinhos que Lionel Wigram criou com inspiração na obra literária, será um novíssimo Blackwood (interpretado por Mark Strong, que trabalhou com Ritchie em RockNRolla). "Não, infelizmente, não posso contar nada da nova história, por enquanto. Mas posso garantir que vai ser bem agitada", desconversou o roteirista Lionel Wigram. As novas aventuras só chegam às telas em 2010, mas já há concorrentes. O humorista inglês Sacha Baron Cohen (mais conhecido como Borat) vai viver o mesmo detetive nas telas, em uma produção da Columbia Pictures. Questionado sobre a preocupação com a concorrência, Silver brincou: "Nosso filme chega antes nas telas. E não tememos a competição. São projetos diferentes, mas claro que vamos fazer tudo para sabotar Cohen."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.