O registro da dança brasileira, por Lucy Barreto

Produtora veterana, ela estréia agora na direção com documentário sobre os 30 anos do grupo mineiro Corpo, de balé

O Estadao de S.Paulo

15 de novembro de 2007 | 00h00

Mulher de Luiz Carlos Barreto, a mineira Lucy Barreto tem história no cinema brasileiro. Desde os anos 60, ela já produziu mais de 50 filmes, incluindo alguns considerados clássicos, como Bye-Bye Brasil, de Cacá Diegues, e Memórias do Cárcere, de Nelson Pereira dos Santos. Lucy também produziu os dois filmes de seus filhos Fábio e Bruno que foram indicados para concorrer ao Oscar - O Quatrilho e O Que É Isso, Companheiro? Assista ao trailer do documentário Grupo Corpo 30 AnosAos 74 anos (nasceu em 1933), Lucy Barreto pode-se entregar, enfim, à sua paixão - os documentários. ''''Passei para minha filha Paula e para o Bruno e o Fábio o bastão. Eles cuidam da parte de produção da LC Barreto e eu vou fazer o que gosto.'''' Para começar, Lucy escolheu justamente o documentário comemorativo dos 30 anos de atividade do Grupo Corpo. Por que o Corpo? ''''Originalmente, sou musicista, formada como pianista no Conservatório Nacional de Música e com passagem pelo Conservatório de Paris. Também estudei balé oito anos no Municipal. Tudo isso já me levava ao Grupo Corpo, e eles ainda são mineiros como eu.'''' Mas há outro motivo que foi acrescentado, como subtítulo, ao filme que estréia hoje - os integrantes do Grupo Corpo, cinco irmãos, formam ''''uma família brasileira''''.Por meio da família do Grupo Corpo, Lucy Barreto quer falar de sua família, que há décadas faz cinema, como eles fazem balé? ''''Não pensei especificamente nisso, mas é claro que tem a ver. Uma família que trabalha unida, que enfrenta (e vence) os desafios unidas, que busca uma expressão brasileira... Acho que o Brasil precisa desse tipo de energia positiva.'''' Lucy não assina Grupo Corpo 30 Anos - Uma Família Brasileira sozinha. Seu filho Fábio e Marcelo Santiago compartilham o crédito de direção. ''''O Fábio filmou a turnê do Grupo Corpo na Europa e o Marcelo, a nos EUA, mas a concepção é minha'''', ela esclarece. Lucy tinha muito claro o que não queria - um documentário com narração em off. ''''Desde que pensei no projeto tive sempre a idéia de um documentário no qual os depoimentos fossem se articulando entre si e conduzidos pela dança.'''' O fio condutor foi o balé Onqotô, de 2005, com música de Caetano Veloso e José Miguel Wisnik. Foram captadas 58 horas de material, desde a criação do espetáculo e as turnês até depoimentos de artistas e críticos de vários países, além de imagens de arquivo que traçam um painel evolutivo e atestam a criatividade e brasilidade do Grupo Corpo.''''Conheço suficientemente balé para dizer que, se o Grupo Corpo não é a melhor companhia de dança do mundo, é mesmo assim uma das melhores'''', diz Lucy Barreto, que promete para o ano que vem outro documentário - agora sobre a figura do professor (e da professora). De novo ela pretende privilegiar o recorte familiar. ''''Nas entrevistas que fizemos, há sempre a referência de alguém - pai, mãe, tio, tia, padrinho, madrinha - impulsionando as pessoas a seguirem essa profissão tão importante e mal remunerada.'''' Lucy aposta no interesse do público em saber mais sobre o Grupo Corpo. Ela comemora o que lhe parece uma vitória - massacrado pela crítica, O Homem Que Desafiou o Diabo, de Moacyr Góes, por ela produzido, foi o preferido do público entre todos os filmes nacionais exibidos pela rede Cinemark, no último dia 5, na promoção Projeta Brasil. ''''Havia uma demanda reprimida dos espectadores pelo filme'''', ela avalia. Quem sabe o Grupo Corpo...?Serviço Grupo Corpo 30 anos - Uma Família Brasileira (Brasil/ 2007, 77 min.) - Documentário. Direção de Lucy Barreto, Fábio Barreto e Marcelo Santiago. Livre. Cotação: Regular

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.