O que você seria capaz de fazer (por um emprego)?

Telecine Cult, 22 h. É hora de assistir a O Que Você Faria?, um título que parece aleatório. Caberia em boa parte, se não todos, aos filmes que já foram feitos. A pergunta aqui é formulada pelo diretor argentino Marcelo Piñeyro, com base na mesma peça, O Método Grõnholm, que Lázaro Ramos e Taís Araújo representam no teatro. Eduardo Noriega, ator fetiche do diretor - presente em filmes como Plata Quemada -, faz o candidato que se apresenta para uma solicitação de emprego. Ele apresentou seu currículo e, agora, descobre que foi selecionado, com outros seis candidatos, para um teste. Todos são trancados numa sala e submetidos a um jogo de dissimulação e astúcia. A idéia é ir eliminando os concorrentes, a partir da idéia de que ali dentro, infiltrado, pode estar, ou está, quem vai avaliar o desempenho individual dos candidatos. No original, o filme chama-se Método. E é disso que trata, um método de aferição de qualidades individuais, numa sociedade competitiva. Nada de humanismo, honra, dignidade. O homem é lobo do homem e vai ganhar o melhor - ou pior, o mais canalha. O desfecho envolve uma surpresa. E tudo se passa em ambientes elegantes, com gente bem vestida. Mesmo sem arma na mão, o horror da violência compromete as relações.

Luiz Carlos Merten, O Estadao de S.Paulo

02 Outubro 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.