O olho da águia

Por ironia do destino, o novo guardião da ética e do dinheiro público na Comissão de Infraestrutura do Senado é o ex-presidente Collor. Com seus olhos de águia, para uns, de doidão, para outros, ele diz que vai jogar duro, denunciando gatunagens e armações. Vai acabar com a moleza para a base aliada e o sindicalismo de resultados aparelharem o Estado, indicando corruptos e incompetentes para agências reguladoras e para bons empregos em estatais.É o que ele promete. Se já estivesse lá na época, o comendador Zuanazzi, Denise Charuto e Jutahyzinho jamais teriam comandado a Anac. As maracutaias de Zuleido Veras não teriam prosperado. Ninguém pode negar qualificação a Collor, que conhece a podridão do poder por dentro, para identificar e denunciar os esquemas criminosos que vampirizam as nossas obras públicas. Sem ironia.Collor vai ficar de olho nesse pessoal do PMDB que, além de roubar o dinheiro dos nossos impostos, faz questão de humilhar a nossa inteligência e tripudiar sobre a nossa honestidade. O truque agora é dizer que os seus indicados para diretorias de estatais e de fundos de pensão são funcionários com não sei quantos anos de carreira, que pode significar apenas que é um péssimo funcionário e um corrupto há muitos anos, com a vantagem de conhecer a máquina por dentro e ter subordinados prontos para prestar serviço sujo aos políticos quadrilheiros.Olho neles, Collor! É preciso alguém com aquilo roxo para dar um ipon na roubalheira e no aparelhamento do Estado. Com certeza as sabatinas dos indicados na Comissão de Infraestrutura terão uma audiência que raramente a TV Senado alcança. Todos vão estar de olho. Coitados dos que serão inquiridos por Collor, de dedo em riste, será impossível esconder a verdade dele, que é do ramo, sabe do que está falando.Depois de tudo que lhe aconteceu, Collor, que pode ser meio louco, mas não é burro, não vai usar a oportunidade para reforçar o caixa de futuras campanhas. É a sua última chance de mostrar que aprendeu alguma coisa com seus erros e desventuras. Ele vai ser cruel, sua vingança será terrível. Vai nessa, Fernandão!

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.