O melhor e o pior do astro Charlton Heston

Bem antes de sua participação melancólica em Josef Mengele e Fahrenheit 11 de Setembro - leia ao lado -, Charlton Heston entrou para a história do cinema por sua parceria com grandes diretores como King Vidor, Sam Peckinpah, William Wyler , Orson Welles e muitos outros. Ator talhado para o papel de herói, em épicos que marcaram época, ele poderá ser revisto, também hoje, em A Marca da Maldade, às 22 horas, no Telecine Cult. Foi o próprio Heston quem convenceu a Universal a produzir este filme sobre dois policiais de métodos opostos - e o diretor Welles fazia o crápula que infernizava o Vargas de Heston. O filme foi remontado pela empresa e, mesmo assim, é uma obra-prima. O plano sequência da abertura é um dos mais espetaculares já filmados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.