O melhor da obra poética de Álvaro Alves de Faria

A organização do crítico Carlos Felipe Moisés dos poemas do paulista Álvaro Alves de Faria abrange mais de 40 anos de produção de fortes traços líricos. Segundo o organizador, tal procedimento "a cada avanço, convertido em recuo, a transitoriedade do que foi pode ser revista e reformulada à luz do que pôde permanecer". Ela começa com os últimos livros de Alves de Faria, publicados em 2007, como Babel, e vai até a estréia do autor com Noturno Maior (1963) - livro escrito cinco anos antes quando o autor tinha 16 anos. Álvaro Alves de Faria (1942) pertence à chamada Geração 60 e é um dos poucos que apostaram em outros gêneros literários, como os contos, as crônicas, o romance e peças teatrais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.