O longo caminho percorrido pelo texto até chegar à cena paulistana

1605 - Edição do livro Don Quixote de la Mancha, de Cervantes. No capítulo 24, intitulado Em que Prossegue a Aventura da Serra Morena, Quixote encontra Cardenio que conta como perdeu sua amada Lucinda ao pedir ao amigo Dom Fernando que testasse sua fidelidade.1612 - Don Quixote é traduzido para o idioma inglês.1613 - No dia 20 de maio estreia a peça Cardenio, assinada por Shakespeare e seu jovem assistente John Fletcher. Há registro de mais uma apresentação, no dia 9 de julho. No mesmo ano há um incêndio no Globe Theatre. A peça não é publicada na primeira compilação das obras do bardo, em 1623. O manuscrito é dado como perdido.1653 - Humprhrey Moseley registrou os direitos do texto A História de Cardenio, cujos autores seriam Mr. Fletcher e Shakespeare. Acredita-se que tivesse em mãos o manuscrito, porém esse jamais foi publicado.1728 - Theobald Lewis afirma ter em mãos o manuscrito de Cardenio, que ele adapta "ao século 18" no espetáculo Double Falsehood, or, The Distressed Lovers (Dupla Falsidade ou O Amante Indigente). Diz ter entregue o original à biblioteca do Covent Garden Theatre.108 - Incêndio destrói a bibliotecado Covent Garden.2004/2005 - O titular de literatura da Universidade de Harward Stephen Greenblatt e o dramaturgo norte-americano Charles Mee reescrevem Cardenio a partir de uma triangulação entre o original de Quixote, a adaptação Dupla Falsidade e o elementos recorrentes na dramaturgia de Shakespeare. 2007 - Projeto de Greenblatt propõe a "apropriação" da obra Cardenio para realização de leituras dramáticas ou até encenações por 20 grupos de diferentes cidades, entre elas Zagreb, Calcutá, Madri e Yokohama.2008 - O Folias é convidado a participar do projeto. Fernando Paz traduz o texto e Reinaldo Maia assina a adaptação que será dirigida por Marco Antonio Rodrigues e estreia no dia 20.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.