O Equilibrista recupera imagem das torres gêmeas

É tudo verdade, mesmo que quase tudo seja construção de linguagem

Luiz Carlos Merten, O Estadao de S.Paulo

08 de abril de 2009 | 00h00

Já exibido nas Premières Cinemark do Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade, O Equilibrista entra em cartaz favorecido pela mídia que recebeu ao vencer o último Oscar da categoria. O filme de James Marsh é bom, sua vitória no Oscar é compreensível - e até defensável -, mas o documentário de Werner Herzog, Encounters at the End of the World, que também concorria, era melhor. Veja o trailer de O Equilibrista O Equilibrista beneficiou-se do chamado ?espírito da época?. Nos últimos oito anos, as imagens da destruição das torres gêmeas, em Nova York, viraram o símbolo não apenas da ofensiva do terror, mas de tudo o que passou a definir os EUA como nação, na presidência de George W. Bush. Em nome da ofensiva antiterror, tudo foi permitido. Aberrações jurídicas foram toleradas e até estimuladas, os custos da guerra vieram sempre acompanhados de denúncias de corrupção.É contra isso que se insurge o documentário do inglês Marsh ao recriar um episódio que poucos conheciam. Em 1974, o francês Philippe Petit cometeu o que parecia uma insanidade. Estendeu um fio entre as duas torres do World Trade Center e caminhou entre elas, sem nenhuma proteção, a 400 metros de altura. O passeio terminou na cadeia, mas os tempos eram outros. São aqueles tempos, uma outra ?América? que James Marsh reconstrói, inclusive restabelecendo a imagem soberana das torres.O foco é no equilibrista, e naquele passeio, mas o filme reconstitui com atores um pouco do passado de Petit e outras de suas aventuras, como atravessar as torres de Notre-Dame, em Paris. É o outro aspecto importante de O Equilibrista, que tem um ritmo de thriller. Sabendo tão pouco sobre o personagem, e com tão poucas imagens de arquivo, James Marsh teve de inventar boa parte do filme por meio da linguagem. Mas é tudo verdade (ficção?). ServiçoO Equilibrista (Man On Wire, Reino Unido/2008, 89 min.) - Documentário. Direção James Marsh. 12 anos. Cotação: Bom

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.