O cotidiano de Angola em linhas irônicas e reflexivas

Este livro de contos de João Melo (1955) é uma viagem pelo cotidiano angolano. Surpreende a forma crua com que ele apresenta os mais diferentes personagens: homens e mulheres que se deparam com uma realidade extremamente severa, que extermina seus sonhos, sempre adiados. Uma das epígrafes do livro é do português José Saramago - "Saberíamos muito mais das complexidades da vida se nos aplicássemos a estudar com afinco as suas contradições em vez de perdermos tanto tempo com as identidades e coerências." A ironia de João Melo alia-se à reflexão profunda sobre os temas tratados em cada um dos dez contos. Melo é jornalista e deputado da Assembléia Nacional de Angola.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.