O clássico, o épico e a vanguarda num pacote

Seis dicas de presentes que vão de Mozart a Bolaño

Antonio Gonçalves Filho, O Estadao de S.Paulo

22 de dezembro de 2008 | 00h00

Um romance que retrata a França no marco zero da democracia, um outro que acompanha a derrocada da República de Weimar, a ópera mais ambiciosa de Mozart, um disco de Cole Porter por uma grande intérprete da nova geração do jazz, uma novela revolucionária do mais badalado escritor latino nos EUA e ainda três novelas reunidas num único livro de uma grande escritora da vanguarda americana do começo do século passado. Nesse mesmo pacote de Natal estão reunidas, respectivamente, a edição definitiva de O Conde de Monte Cristo, a edição restaurada em DVD de duas obras-primas do cinema - o épico Berlin Alexanderplatz e a ópera Don Giovanni -, o novo CD da cantora, compositora e pianista americana Patricia Barber, a novela Amuleto, do chileno Roberto Bolaño, e Três Vidas, três novelas da norte-americana Gertrud Stein juntas num único volume. O Conde de Monte Cristo (Zahar, dois volumes, 1.376 págs., tradução de André Telles e Rodrigo Lacerda, R$ 129), o clássico romance do francês Alexandre Dumas (1802-1870), fala sobre um marinheiro preso injustamente e que se vinga ao ficar rico. Baseada na edição francesa em seis volumes de Calmann-Lévy (que reproduz o texto publicado em folhetim pelo autor, em 1844), a brasileira, anotada, ilustrada e com posfácio do próprio autor, é um trabalho de fôlego como a segunda indicação da lista, a versão restaurada do filme dirigido pelo alemão Rainer Werner Fassbinder (1945-1982), Berlin Alexanderplatz (edição especial com 6 DVDs da Versátil/Instituto Goethe, R$ 169).Berlin Alexanderplatz é uma adaptação do romance expressionista de Alfred Döblin (1878-1957) e conta a história de Franz Biberkopf, pobre diabo que, após cumprir quatro anos de prisão, sai dela disposto a se tornar um homem decente. Isso numa Alemanha em crise, à beira do precipício hitlerista. O filme é um monumento cinematográfico incontornável, assim como a versão cinematográfica da ópera Don Giovanni, de Mozart, dirigida pelo requintado Joseph Losey.Don Giovanni, a história do conquistador que desafia o inferno para viver suas paixões, ganha nas mãos de Losey uma leitura sociológica que não dispensa até uma citação a Gramsci para caracterizar o anti-herói mozartiano como um revolucionário que destrói a ordem burguesa. Losey, contudo, é sutil, elegante e, principalmente, um melômano exigente, que reuniu em seu filme (de 1979) alguns dos melhores cantores líricos (Ruggero Raimondi, Kiri Te Kanawa, Teresa Berganza).Voz extraordinária é também a de Patricia Baber, que acaba de lançar nos EUA o CD Cole Porter Mix (Blue Note, importado, R$ 60) em comemoração aos seus 20 anos de carreira. Patricia é uma intérprete e compositora sofisticada, que já dedicou um disco inteiro às Metamorfoses de Ovídio (Mythologies, Blue Note). Um item tão indispensável no pacote quanto Atentado (Companhia das Letras, tradução de Eduardo Brandão, 136 págs., R$ 33), novela de Bolaño (1953-2003), autor que virou cult nos EUA, sobre uma andarilha uruguaia às volta com a repressão política nos anos 1960, e o volume com três novelas de Gertrud Stein (1947-1946), Três Vidas (Cosac Naify, tradução de Vanessa Barbara, 248 págs., R$ 46).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.