O Brasil agora respeita os músicos

Afirmação é do pianista baiano Ricardo Castro, que mora na Suíça e toca com a Osesp em São Paulo, de hoje a domingo

Lourdes Sola, O Estadao de S.Paulo

31 de julho de 2008 | 00h00

O pianista brasileiro radicado na Suíça Ricardo Castro fará concertos de hoje a domingo em São Paulo. O músico, que inclui em seu currículo espetáculos com os mais renomados maestros e famosas orquestras do mundo, tocará com a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), de hoje a sábado, na Sala São Paulo. Com regência do maestro Carlos Moreno, o baiano Castro tocará o Concerto nº 1 de Beethoven. No domingo pela manhã, faz concerto para a juventude."É sempre um prazer, além de satisfação profissional e artística, tocar com a Osesp", disse Ricardo Castro ao Estado em Morges, na Suíça, onde se apresentou no sábado. E não é só pela qualidade musical dos integrantes da orquestra. Para ele, hoje há um conceito profissional baseado no respeito aos músicos. "Houve uma época no Brasil que um Pavarotti, por exemplo, era recebido com uma limousine. Os outros músicos tinham de pagar táxi para chegar ao teatro."De acordo com ele, não foram poucas as vezes que artistas residentes fora do País eram informados, às vésperas do concerto, do seu cancelamento. "Fiquei algum tempo sem tocar no Brasil. Só aceitava convites do Teatro Cultura Artística, de São Paulo, que sempre teve uma atitude impecável e cumpria o combinado", conta. Agora os tempos são outros - ainda bem. Pelo menos a cada dois anos, o pianista brinda a cidade com sua participação em concertos com a Osesp, embora tenha-se apresentado mais assiduamente no Brasil com outras orquestras. Desta vez, Castro participa também do programa Oferenda Musical, que é um festival internacional de música de câmara de São Paulo, no Teatro São Pedro. Promovido pela Secretaria Estadual de Cultura, o evento vai de amanhã até dia 9 de agosto e tem direção artística de Alex Klein. O pianista vai mostrar composições de Franz Schubert no concerto Schubertíade Brasileira. O espetáculo terá a participação especial da cantora Jussara Silveira, com Cássia Renata Lima (flauta), Israel Lima (oboé), Whatson Cardozo (clarinete) Altair Venâncio (fagote) e André Gonçalves (trompa). Para ele, a câmara é um bom caminho por todos que querem se dedicar à música. "Mesmo que não haja orquestra em uma comunidade, aconselho a criação de um grupo de câmara", diz. "A música é uma linguagem e como tal é importante que o músico ouça os outros e não só a si mesmo para crescer", explica. Aos 43 anos, Castro vive na Europa desde os 19, quando começou a estudar em Genebra. Ao longo desse tempo se apresentou com a BBC Philarmonic de Londres, English Chamber, City of Birmingham Symphony, entre outras. Venceu também concursos importantes, como o Leeds International Piano Competition, na Inglaterra, e o de Munique. Completou os estudos de piano em Paris, com o famoso Dominique Merlet.Além de administrar a agenda de concertos, Castro dedica-se a outras atividades ligadas ao meio musical. É professor na Universidade de Fribourg, na Suíça, diretor da Orquestra Sinfônica da Bahia e fundador do Neojibá (leia ao lado). Para ele, é preciso acabar com a imagem elitista da composição erudita. "O que interessa é a qualidade." E já provou que não tem a empáfia da erudição. Em 2005, no carnaval de Salvador, subiu e tocou no trio elétrico Expresso 2222 com Daniela Mercury. E mostrou que diversidade e qualidade não são incompatíveis - pelo menos quando ele está ao piano. ProgramaçãoSala São Paulo31 de julho, quinta-feira, 21 horas - Cedro1 de agosto, sexta-feira,21 horas - Araucária2 de agosto, sábado,16h30 horas - MognoCarlos Moreno - regenteRicardo Castro - pianoCarl Maria von Weber / Hector BerliozConvite à Dança, Op.65Ludwig van BeethovenConcerto nº 1 para Piano em Dó maior, Op.15Cláudio SantoroSinfonia nº 5Oferenda MusicalTheatro São Pedro4 de agosto, segunda-feira19h45 Prelúdio - Conheça Jussara Silveira e Ricardo Castro20h30 - Concerto - Schubertíade BrasileiraCássia Renata Lima, flautaIsrael Muniz, oboéWhatson Cardozo, clarineteAltair Venâncio, fagoteAndré Gonçalves, trompaFranz Schubert(1797-1828)/ Johann Mayrhofer (1787-1836)- versão A. NestrovskiEstrela d´alva (Abendstern)Franz Schubert/ Wolfgang von Goethe (1749-1832) versão A. Nestrovski À Beira-Rio (am Flusse)Dorival Caymmi (1914)Morena do MarFranz Schubert/Heinrich Rellstab (1799-1860) versão A. Nestrovski Serenata (Ständchen)ServiçoOsesp. Sala São Paulo (1.484 lugs.). Pç. Júlio Prestes, s/n.º, 3223-3966. Hoje e amanhã, 21 h; sáb., 16h30. R$ 28 a R$ 98

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.