Novas perspectivas

Foi regulamentado em 1.º de outubro o artigo 3.º A da Lei do Audiovisual, que autoriza empresas de TVs abertas e de TV por assinatura (nacionais ou estrangeiras) a investirem parte do imposto devido sobre a remessa de recursos ao exterior - derivados da aquisição de direitos de transmissão de obras audiovisuais - na co-produção de obras audiovisuais brasileiras independentes. O contribuinte estrangeiro pode investir até 70% do imposto devido.Campanha publicitária busca estimular as classes C e D a consumirem filmes brasileiros nas salas de cinema e videolocadoras. Projeto inclui o Vale Cinema, um acordo com empresas para beneficiar com ingressos de cinema trabalhadores que recebam até 5 salários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.