Nova geração de compositores do País agora está Pelas Tabelas

Canal Brasil exibe até agosto minidocumentários com entrevistas e encontros

Roberta Pennafort, RIO, O Estadao de S.Paulo

10 de junho de 2009 | 00h00

Pedro Luís trouxe Lula Queiroga, Nilze Carvalho chamou Alfredo Del Penho, Romulo Fróes sugeriu Curumin. Todos compositores de uma turma cujo trabalho nem sempre é tão divulgado como merece, eles participam do programa Pelas Tabelas, que estreou na sexta no Canal Brasil. Na abertura, Rodrigo Maranhão e Edu Krieger relembraram o curso de música na Universidade Federal do Estado do Rio. Os 13 programas, minidocumentários de 25 minutos, mapeiam a "nova geração" de compositores brasileiros (a maior parte na década de 30) e os levam a contar sua trajetória e processo de criação. São 27, no total, de diferentes gêneros, que aparecem em duplas, à exceção do trio formado por Moreno Veloso, Kassin e Domenico Lancellotti. É a chance de eles se conhecerem melhor e de mostrarem seu repertório. "A minha geração nunca fez parte do grande esquema, porque veio depois da derrocada das gravadoras. Fomos aprendendo na rua. Nosso contato é direto com o público, mesmo que ele seja reduzido", conta Maranhão. Ele e Krieger também foram companheiros de faculdade de outros dois convidados: Raphael Gemal, que bate bola com Carlos Pontual, e Rubinho Jacobina, com Lucas Santtana.Concebido e dirigido pelos jornalistas Caio Jobim e Pablo Francischelli, o programa é dividido em entrevistas individuais e um encontro entre os compositores. A produção é da Carioca Filmes, quase tudo foi filmado no Rio, mas incluindo a cena musical contemporânea de São Paulo e de Pernambuco: Céu se encontra com Beto Villares, Chico Pinheiro, com André Mehmari, além de Romulo e Curumin. As duplas Junio Barreto e Fabio Trummer e Siba e Roberto Correa são os representantes pernambucanos. Do Rio Grande do Sul, o veterano Vitor Ramil, convidado com a maior bagagem, dialoga com o niteroiense Fred Martins. A música instrumental se faz presente com o violonista Yamandu Costa e o bandolinista Hamilton de Holanda.Siba e Roberto se conhecem há dez, e a admiração é mútua: "Ele vem de um ambiente de música de concerto, uma formação mais racional. Tenho um posicionamento mais oral. É inspirador, porque aprendo muito com a diferença. Ele é uma escola", diz Siba, que vê no programa a chance de difundir mais seu trabalho. Alfredo Del Penho já tinha cantado com Nilze Carvalho na Lapa, mas não conhecia muito bem seu trabalho como compositora. "Foi interessante para mim e será para o público, que vai ver como o compositor construiu sua identidade musical." Pelas Tabelas vai ao ar até 28 de agosto, sempre às sextas, às 21 h, com reprise aos domingos, ao meio-dia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.