Notas

ESPANHOLA - A atriz Penélope foi com um vestido que usou aos 16 anos. Depois de receber a estatueta de melhor atriz coadjuvante por sua atuação em Vicky Cristina Barcelona, ficou chorando em um canto por 15 minutos, falando com sua família por telefone. Ligou também para Woody Allen, que lhe mandou flores na semana passada por sua premiação no Bafta. Penélope afirmou que se tornou outra atriz quando o envelope foi aberto e ouviu seu nome. "Eu estava muito nervosa, era muita pressão e tentei me acalmar para dizer o nome de todo mundo nos 50 segundos que eu tinha, mas, claro, não consegui." Depois de chorar, disse que começava de fato uma carreira em Hollywood com o prêmio. "É uma carreira diferente da que eu tenho na Espanha e na Europa.Não pretendo misturá-las." Sonhando com a carreira de atriz desde criança ("Tive a sorte de meus pais não me acharem uma louca"), ela disse que precisava agradecer novamente Woody Allen, que a convidou para o filme."Ri muito quando li o roteiro, sabia que seria um grande papel", afirmou ela, que pretendia comemorar em alguma festa que tivesse muita música pra dançar.SPIRITS - Penélope Cruz, no sábado, na cerimônia dos Independent Spirit (para filmes com orçamento menor de US$ 20 milhões), também ganhou o prêmio de coadjuvante. O melhor filme foi O Lutador, que também rendeu a Mickey Rourke mais um prêmio de melhor ator. O diretor foi Tom McCarthy, por The Visitor. Melissa Leo ficou com o troféu de atriz por Rio Congelado. James Franco, por Milk, foi o melhor coadjuvante.NO TAPETE VERMELHO - As crianças do filme Quem Quer Ser um Milionário? correram para pegar autógrafo de Meryl Streep, que beijou a todos e conversou muito. U.B.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.