No Limite provoca ira

Protesto Globo: Reality é acusado de maltratar animais

Keila Jimenez, O Estadao de S.Paulo

21 de agosto de 2009 | 00h00

No Limite está provocando a fúria das entidades protetoras dos animais. A confusão começou na semana passada, quando os participantes tiveram de comer, em uma prova, peixinhos vivos e ovos com pintinhos natimortos. Dias antes, o programa exibiu os participantes matando galinhas e um peixe, da forma mais rústica possível.São justamente essas provas escatológicas que causaram repúdio por parte de entidades como a União Internacional Protetora de Animais (UIPA), que promete, nos próximos dias, tomar medidas judiciais contra o programa da Globo.Segundo a entidade, No Limite promove morte brutal, perseguição, privação de alimentos e de movimentos de animais só para entreter os telespectadores. A UIPA recebeu uma série de denúncias contra o programa.Já a Associação Humanitária de Proteção e Bem-Estar Animal acusa a atração de amarrar uma coruja, para que ela enfeite o cenário atrás de Zeca Camargo.Procurada, a Globo, por meio de sua assessoria de imprensa, informa que todos os animais silvestres utilizados em No Limite foram adquiridos legalmente e com prévia ciência do Ibama .

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.