Ney registra Inclassificáveis em DVD

Cantor prossegue no Rio a turnê iniciada em São Paulo e aproveita para gravar disco digital que será lançado em março

Roberta Pennafort, RIO, O Estadao de S.Paulo

02 de janeiro de 2008 | 00h00

O ano de 2008 começa bem para Ney Matogrosso. Já a partir de amanhã, seu novo show, Inclassificáveis, que fez grande sucesso em São Paulo e passou por Juiz de Fora (MG) e Natal (RN), chega ao palco do Canecão, no Rio, onde ficará por duas semanas. O espetáculo dará origem a um DVD a ser lançado pela EMI em março, com o do CD que o cantor fez em estúdio com o mesmo repertório.O público carioca vai se deparar com hits de Cazuza - O Tempo não Pára (que abre o show), Por Que a Gente É assim? e Pro Dia Nascer Feliz (escolhida para o encerramento); canções das duplas Chico Buarque e Edu Lobo (Ode aos Ratos) e Caetano Veloso e Gilberto Gil (Divino Maravilhoso); e muitas apostas em jovens compositores, como Pedro Luis, Dan Nakagawa, Fred Martins, Jair Oliveira e Marcelo Camelo. Pelo menos, seis canções são inéditas.''''Fui escolhendo as coisas que me interessavam. Tem um assunto que permeia o show, que somos nós mesmos. Não é uma coisa social; ''''humanitário'''' talvez seja a palavra certa'''', explica Ney, que se apresenta com figurino à Secos & Molhados (de Ocimar Versolato), num cenário do carnavalesco Milton Cunha.O título do trabalho veio da música homônima composta por Arnaldo Antunes, que pergunta ''''que preto, que branco, que índio o quê?'''', e sentencia: ''''Aqui somos mestiços mulatos/ cafuzos pardos mamelucos sararás/ crilouros guaranisseis e judárabes.'''' ''''Inclassificáveis não tem a ver comigo; tem a ver com o Brasil e com todos nós, brasileiros'''', diz o intérprete, que, em agosto, comemora inacreditáveis 67 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.