Negócio emperrado

Sem sócios, Caldeirão engaveta quadro

Keila Jimenez, O Estadao de S.Paulo

30 de abril de 2009 | 00h00

Os negócios do Caldeirão do Huck andam parados. Opa, a audiência da atração vai bem, mas o quadro Negócio Fechado, estreado por Alex Atala, pode desaparecer para sempre.Anunciado na época (final de 2007) como a versão brasileira do Kitchen Nightmares - programa em que o chef Gordon Ramsey tenta salvar restaurantes da ruína - o Negócio Fechado do Caldeirão estreou com o chef Alex Atala dando uma forcinha para a cantina Família Mellili, em São Paulo. A ideia do quadro era colocar um especialista para ajudar como sócio, por uma semana, um estabelecimento em decadência. A participação de Atala foi um sucesso - tirando o fato de o restaurante ter sido vendido na sequência - mas o chef não quis continuar. Temia ficar refém da TV e longe da gastronomia. Sem novos sócios, o formato foi engavetado."O quadro se fundiu ao Lar Doce Lar. Podemos, em vez de reformar uma casa, reformar um estabelecimento comercial", explica Luciano Huck, negando que a atração tenha acabado, apesar da mudança."Nada chegou a emperrar. Temos de priorizar nossos carros-chefes, se não o programa fica sem continuidade."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.