Natureza, história e irreverências

Com belas e inspiradas ilustrações, 9 novos livros mostram temas criativos e variados, sem esquecer de informação e humor

Geraldo Galvão Ferraz, O Estadao de S.Paulo

25 de junho de 2008 | 00h00

Além do zoológico, lugar bom de criança de cidade asfaltada ver e saber sobre bichos é o livro. Animais grandes e pequenos sempre impressionaram o imaginário infanto-juvenil desde antes da formiga azucrinar a cigarra e do lobo mau colocar a Chapeuzinho Vermelho como objetivo do seu espaço gourmet. Sobrevôos, de Lalau e Laurabeatriz, dupla que desde 1994 coleciona êxitos com seus livros muitas vezes voltados para temas da natureza e da preservação das espécies, é sobre pássaros. As sugestivas e delicadas imagens de Laurabeatriz juntam-se aos versos líricos e evocadores de Lalau para mostrar 11 tipos de aves e o que elas vêem lá de cima. O que lhes permite mostrar, em imagem e texto, o ambiente e as paisagens em que vivem: o quero-quero nas fazendas (faltou mencionar os campos de futebol), a gaivota e a praia, o martim-pescador e o mangue; no final do livro, uma informação maior sobre cada pássaro focalizado.Na mesma clave, Uma Floresta de Histórias, de Rina Singh e Helen Cann, reúne contos de árvores mágicas de vários lugares do mundo. Falta uma informação maior sobre as árvores, mas as histórias são bem escolhidas e interessantes na forma com que são contadas. Fica presente também uma mensagem ecológica. As espécies americanas são representadas pelo capoque, que aqui é conhecido como sumaúma. Árvore sagrada dos maias, é uma espécie de paineira e centro, aqui, de uma bela história de amor. As imagens do livro são bonitas, de uma maneira convencional.Já Diário de Uma Aranha, de Doreen Cronin, não tem nada disso. Com ilustrações inspiradas e irreverentes de Harry Bliss, conta de modo divertido particularidades reais e fictícias de uma aranha (eu ia escrever inseto, mas no diário lê-se: ''Aranhas não insetos. Insetos têm seis patas.'' No diário da aranha, há observações como ''as borboletas ficam mais gostosas com molho barbecue'' e o que aranhas devem fazer diante de um aspirador. Engraçado e criativo.Todos os livros acima são para crianças até a pré-adolescência. Para adolescentes, uma espécie de Harry Potter surrealista, A Gente É Monstro!, de Alan Snow, um livro que poderia ser visto como uma esfregada brava na imaginação dos leitores - jovens e até adultos. Divertido, cheio de criaturas esquisitas e lugares estranhos, conta como um bando de caixatrolls e cabeças-de-repolho, mais três heróis improváveis, tentam salvar Ponterrato das garras de um perigo terrível. Felizmente, a capa diz: volume 1, logo haverá mais loucuras criadas por Alan Snow, um ilustrador-romancista que lembra Tim Burton ou Ronald Searle.Também no tom fantástico, a história Era Outra Vez Um Gato Xadrez, da escritora gaúcha Letícia Wierzchowski, com ilustrações do paulista Virgílio Neves. É uma dupla, que, a exemplo de Lalau e Laurabeatriz, tem um trabalho de outros livros. Letícia brinca com a palavra e com os conceitos, Virgílio deita e rola nas imagens , todas em preto-e-branco, que usam referências que vão do psicodélico à op-art. O ponto de partida: um gato que detesta ser xadrez e uma bruxa que quer casar.Outra dupla de craques: Ana Maria Machado e Odilon Moraes. O livro é Histórias à Brasileira 3, em que a escritora conta narrativas da tradição oral como O Pavão Misterioso e o ilustrador comparece, infelizmente de forma um tanto parcimoniosa. Mas Ana Maria salva o dia com seu jeito ímpar de contar histórias. Ótimo para crianças que estão deixando de ouvir e começando a ler textos um tanto mais complexos.Para leitores que já estão tendo aulas de História do Brasil, três belos e premiados livros de Nelson Cruz evocam duas histórias de amor ligadas a personagens da Inconfidência Mineira e uma dos tempos da colonização, também em Minas: Bárbara e Alvarenga, Dirceu e Marília e Chica e João. Reeditadas, mostram o precioso trabalho de Nelson como ilustrador e um texto que não fica atrás na clareza e riqueza de informações.Serviço UMA FLORESTA DE HISTÓRIAS, Rina Singh e Helen Cann. Tradução de Mônica Stahel, WMF Martins Fontes, 64 págs., R$ 39 DIÁRIO DE UMA ARANHA, Doreen Cronin e Harry Bliss. Tradução de André Conti, Companhia das Letrinhas, 40 págs., R$ 27 A GENTE É MONSTRO!, Alan Snow. Tradução de Ricardo Gouveia. Companhia das Letras, 526 páginas, R$ 55 SOBREVÔOS, Lalau e Laurabeatriz. Manole, 32 págs., R$ 29 ERA OUTRA VEZ UM GATO XADREZ, Letícia Wierzchowski e Virgílio Neves. Galerinha Record, 64 páginas, R$ 32 HISTÓRIAS À BRASILEIRA 3, Ana Maria Machado e Odilon Moraes. Companhia das Letrinhas, 88 págs., R$ 32,50 BÁRBARA E ALVARENGA/ DIRCEU E MARÍLIA/ CHICA E JOÃO. Cosac Naify, 40 págs., R$ 25 cada um

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.