Nas portas do estádio, cambistas faziam liquidação de ingressos

Entradas de R$ 250 eram vendidas a R$ 60 e, meia hora após, por R$ 40; nas bilheterias também havia bilhetes disponíveis

Patrícia Villalba, O Estadao de S.Paulo

19 de dezembro de 2008 | 00h00

Se a procura por ingressos na porta do estádio for comparada ao furor de quando eles começaram a ser vendidos, pode-se dizer que o furacão Madonna perdeu força quando chegou a São Paulo ontem. Nas bilheterias oficiais ainda era possível comprar entradas, menos para a área VIP e pista. E entre os cambistas, o mais sintomático: havia uma verdadeira liquidação. Entradas que antes custavam R$ 250 eram vendidas por R$ 60 e, meia hora depois, por R$ 40. "Um camarada meu se cansou, e vendeu quatro por R$ 100", disse um dos cambistas, injuriado, que não quis se identificar.Instaladas no gargarejo da "pista VIP", a área mais exclusiva do show de Madonna no Estádio do Morumbi, as irmãs Marjorie e Érika Rodrigues, de 20 e 19 anos, já tinham a certeza de que "tudo estava valendo a pena". Acompanhadas da amiga Carol Mattos, de 28 anos, elas pegaram a fila para entrar no estádio às 8 horas, a primeira etapa da maratona que termina somente no domingo. "Vamos às três apresentações daqui de São Paulo", diz Marjorie, que viu o Sticky & Sweet também no Rio, no dia 14. Fã de Madonna desde os 12 anos, Marjorie não queria apenas ver o show, mas estar perto da cantora. "Quero ver os dentinhos separados dela, tudo! Nos outros setores, dá para ver o show, mas não ver a Madonna", brincou ela, que vê o show de amanhã, com a mãe, da arquibancada e, no domingo, novamente da pista VIP.Estar ali, entre os fãs que pagaram R$ 600,00 pelo melhor ingresso, foi o resultado de muita persistência das três amigas. Para a apresentação de ontem, elas tinham ingressos para a "pista simples". "Ficamos penduradas naquele ?caos center? da meia-noite às 3 da tarde", contou Erika, referindo-se ao sistema de venda de ingressos. "Só na terça-feira ficamos sabendo que havia mais um lote de ingressos para a pista VIP. E aqui estamos."As amigas não pensaram duas vezes antes de comprar os ingressos VIP, mesmo já tendo gasto R$ 125 (pagando como estudantes) cada uma. "Na hora, a gente pensou que não teria problema, que venderíamos aqui na porta com facilidade", explica Carol. Que nada... "O máximo que conseguimos foi R$ 20 em cada um, acredita?" EFEITO MADONNA39 milturistas devem vir a São Paulo até domingo, principalmente do Interior e Litoral paulista, além de Minas Gerais, Paraná e Distrito Federal23 milhõesde reais deverão ser injetados na economia da Cidade1,6 milempregos diretos ou indiretos deverão ser gerados20% de aumentono índice de ocupação dos hotéis é a taxa esperadaFonte: São Paulo Turismo (SPTuris) e FOHB-SP (Fórum dos Operadores Hoteleiros do Brasil)"NÃO SOU FÃ DELA" POSTO MÉDICO: Instalado no gramado do Morumbi, o Posto Médico não havia registrado nenhum atendimento até o início do show. Enquanto o DJ Paul Oakenford levantava a platéia, o médico Rubens Albert desdenhava o lugar privilegiado. "Não sou fã da Madonna, não mesmo. E, para trabalhar aqui hoje, o médico nem poderia ser fã dela", resumiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.